Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Pela sétima vez, muro de vidro da USP amanhece quebrado

Agentes da Guarda Civil Metropolitana fazem rondas diárias no local e Polícia Civil investiga série de ataques; ainda em obras, previsão de entrega é na primeira quinzena deste mês

Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

03 Julho 2018 | 08h38

Pela sétima vez em menos de três meses, um dos painéis do muro de vidro da Raia Olímpica da Universidade de São Paulo (USP), na Marginal Pinheiros, na zona oeste da capital paulista, foi quebrado novamente nesta terça-feira, 3. Agentes da Guarda Civil Metropolitana (GCM) fazem ronda diária pelo local. 

Segundo a Prefeitura de São Paulo, agentes da GCM estavam em patrulhamento no local, na madrugada deste terça, quando avistaram os estilhaços e notaram que um dos vidros havia sido quebrado . De acordo com os agentes, ningúem ouviu ou viu quando o fato aconteceu. Eles registraram boletim de ocorrência no 91º DP (Ceasa) como dano ao patrimônio. 

+++ Por que os vidros da Raia Olímpica da USP quebram?

A Polícia Civil, que já investiga os casos registrados anteriormente, solicitou perícia. A última ocorrência havia acontecido em 11 de junho. Na ocasião, uma testemunha relatou aos agentes que um ocupante de um caminhão que trafegava pela marginal lançou um objeto contra o muro de vidro.   

O primeiro ataque contra o muro de vidro ocorreu 15 dias depois da inauguração, em 18 de abril. Orçada em R$ 20 milhões, a instalação dos vidros no muro que separa a raia olímpica da Marginal Pinheiros tem conclusão prevista para a primeira quinzena deste mês.

+++ Pela quinta vez, muro de vidro da USP é alvo de vandalismo

De acordo com a Prefeitura, os painéis estão sendo custados por mais de 45 empresas e não oneram a universidade. "A manutenção é feita pela USP e os vidros que estão sendo substituídos fazem parte de peças extras de reposição", garante a Prefeitura.

Histórico. O primeiro ataque contra o muro de vidro ocorreu 15 dias depois da inauguração, em 18 de abril. À época, um vigilante da universidade relatou aos policiais que avistou um homem nas proximidades do local atingido e que este havia dito que procurava por uma bolsa de uma mulher antes de fugir da região.

+ Após 15 dias de inauguração, muro de vidro da Raia Olímpica da USP amanhece quebrado

Dois dias depois, no dia 20 de abril, mais três painéis de vidro foram depredados. No dia 24 do mesmo mês, após mais um ataque, a Prefeitura disse que "repudia os atos de vandalismo" e firmou convênio com a USP e a Guarda Civil Metropolitana para garantir o patrulhamento do entorno.

No dia 28 de abril, um homem foi preso por furtar coluna de alumínio após quebrar um dos painéis de vidro. A ocorrência mais recente foi registrada na última quinta-feira, 7 de junho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.