AMANDA PEROBELLI/ESTADAO
AMANDA PEROBELLI/ESTADAO

Homem é preso por furtar coluna de sustentação do muro de vidro da Raia Olímpica da USP

Guarda Civil Metropolitana informa que o caso foi registrado no 91º DP; Polícia Civil irá investigar se o indiciado também foi responsável pelos danos causados em outras três ocasiões

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

28 Abril 2018 | 12h02

SÃO PAULO - Agentes da Secretaria Municipal de Segurança Urbana prenderam na madrugada deste sábado, 28, um homem de 38 anos, surpreendido pela Guarda Civil Metropolitana (GCM) por furtar uma coluna de alumínio arrancada do muro de vidro da Raia Olímpica da Universidade de São Paulo (USP) na Marginal Pinheiros, na zona oeste da capital paulista.

Segundo a nota, o indiciado tinha acabado de quebrar um dos vidros para retirar a coluna e já havia outro vidro quebrado. 

Ele foi conduzido ao 91º DP (Butantã), onde foi registrado o Boletim de Ocorrência (BO) por furto qualificado. 

A Polícia Civil irá investigar se o indiciado também foi responsável pelos danos causados em outras três ocasiões.

+++ Por que os vidros da Raia Olímpica da USP quebram?

Vidros quebrados

No dia 18 de abril, parte do muro de vidro, que separa a Marginal Pinheiros e a Raia Olímpica da USP, amanheceu quebrada. 

Mais três partes do muro de vidro amanheceram destruídas no dia 20 de abril. 

O terceiro registro foi feito no dia 24 de abril. Na ocasião, a Prefeitura disse que 'repudia os atos de vandalismo' contra a estrutura e que fará um convênio com a instituição para que a Guarda Civil Metropolitana possa patrulhar a área.

A obra foi inaugurada há algumas semanas pelo então prefeito João Doria (PSDB). De acordo com a Prefeitura de São Paulo, equipes técnicas foram enviadas ao local para avaliar a causa do incidente e trocaram o painel danificado por outro seria utilizado na obra de extensão do muro, que deverá ter 2,2 quilômetros com a inauguração de outro trecho até maio. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.