Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Kassab afirma que o TCM analisou contas

Por meio de assessoria de imprensa, ex-prefeito informou que 'desconhecia' o teor do relatório da Controladoria-Geral do Município

Bruno Ribeiro, O Estado de S. Paulo

15 Setembro 2014 | 02h02

SÃO PAULO - Por meio de sua assessoria de imprensa, Gilberto Kassab informou que "desconhecia" o teor do relatório da Controladoria-Geral do Município (CGM). Kassab se apoia em uma análise do Tribunal de Contas do Município (TCM), que "verificou a adequação das prestações de contas referentes ao contrato, evidenciando a existência dos devidos relatórios para todos os itens de prestação de serviço". A nota não comentou as afirmações, feitas pela Controladoria, sobre as diversas falhas no contrato.

Já a Secretaria Executiva de Comunicação de Fernando Haddad (PT) informou que já acatou todas as recomendações da nota técnica elaborada pela CGM. Titular da pasta, o secretário Nunzio Briguglio Filho disse que está "cuidando pessoalmente da minuta do novo edital da licitação" do 156.

Segundo Briguglio Filho, Haddad assumiu três meses antes de o contrato do 156 chegar ao fim e, quando a gestão foi informada, não havia tempo de realizar nova licitação. "Foi feita uma vistoria sobre a qualidade do serviço. A Call atendia 94% dos chamados; 6% ficavam em espera ou a ligação caía. Sob esse critério, o contrato foi renovado. Não era possível saber, antes do parecer da CGM, das irregularidades. Agora estamos fazendo nova licitação", disse Briguglio Filho.

Servidores. A pedido da CGM, a Prefeitura faz uma apuração preliminar para identificar servidores que eventualmente tenham responsabilidade sobre os prejuízos. Servidores que deixaram a Prefeitura com o fim da gestão Kassab também poderão ser chamados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.