Reprodução/Google Street View
Reprodução/Google Street View

Após jovem ser espancado, dono e segurança de bar são indiciados por tentativa de homicídio

Estudante de Engenharia está em coma induzido e foi submetido a três cirurgias após agressão, ocorrida em Santos, no litoral de São Paulo; jovem teria sido espancado após questionar o valor de uma comanda

Luiz Alexandre Souza Ventura, especial para O Estado de S. Paulo

26 Julho 2018 | 13h15

SANTOS - Um dos seguranças e o dono do bar em que um estudante foi espancado em Santos, no litoral sul de São Paulo, foram indiciados por tentativa de homicío na quarta-feira, 25. Após a agressão, ocorrida em 7 de julho, Lucas Martins de Paula, de 25 anos, ficou desacordado e foi acudido por amigos. Desde então, ele foi submetido a três cirurgias e está em coma induzido.

A agressão ocorreu durante a madrugada no Baccará Bar & Grill, que fica na Rua Oswaldo Cochrane, no bairro do Embaré. A Polícia Civil indiciou o dono do bar, Victor Alves Karan, e o segurança Thiago Ozarias Souza.

O jovem está internado há duas semanas na Santa Casa de Santos. Ele já passou por três cirurgias para redução da hipertensão intracraniana. Aluno do quarto ano do curso de Engenharia Elétrica da Universidade Santa Cecília (Unisanta), permanece em coma induzido e seu estado de saúde é considerado grave.

De acordo com testemunhas, após questionar o valor de R$ 15 em sua comanda, o estudante foi arrastado para a área externa do bar e espancado por ao menos seis seguranças do estabelecimento, até desmaiar. Amigos do rapaz acionaram o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e a Polícia Militar.

Imagens registradas por câmeras do bar mostram o espancamento. Os advogados que defendem os indiciados vão aguardar posicionamento do Ministério Público.

Mais conteúdo sobre:
homicídio Santos [cidade SP]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.