Google Street View
Google Street View

Estudante é espancado na calçada de bar em Santos e está em estado grave

Lucas Martins de Paula questionou valor da comanda e foi agredido por seguranças do estabelecimento. Ele passou por duas cirurgias na cabeça e está em coma induzido

Luiz Alexandre Souza Ventura, Especial para o Estado

10 Julho 2018 | 19h08
Atualizado 11 Julho 2018 | 16h33

SANTOS -  O estudante universitário Lucas Martins de Paula, de 21 anos, que foi espancado na madrugada do sábado, 7, na calçada de um bar no litoral sul de São Paulo, permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Santos.

+ Corpo de jovem que morreu em assalto na Frei Caneca é sepultado no interior de SP

De acordo com a assessoria de comunicação do hospital, o rapaz passou por duas cirurgias para drenagem de um coágulo no cérebro (hematoma intracraniano) e continua sedado, em coma induzido, com a pressão intracraniana monitorada. O quadro de saúde é considerado grave.

Aluno do quarto ano do curso de engenharia elétrica da Universidade Santa Cecília (Unisanta), o jovem foi agredido em frente ao Baccará Bar & Grill, que fica na Rua Oswaldo Cochrane, no bairro do Embaré, em Santos.

De acordo com testemunhas, após questionar o valor de R$ 15 em sua comanda, o estudante foi arrastado para a área externa do bar e espancado por ao menos seis seguranças do estabelecimento, até desmaiar. Amigos do rapaz acionaram o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e a Polícia Militar.

Registrado na Central de Policia Judiciária (CPJ), o caso é investigado por agentes do 3.º DP de Santos. O delegado responsável abriu inquérito de tentativa de homicídio e lesão corporal dolosa. Todos os envolvidos, inclusive os proprietários do bar, estão sendo intimados.

Três agressores foram identificados nesta terça-feira, 10. Um deles foi apresentado pelo advogado do bar, que confirmou a participação do colaborador na confusão, mas destacou que se trata de um terceirizado. Conforme informações do delegado, o chefe de segurança do Baccará, que já havia prestado depoimento e declarado não ter presenciado o espancamento, mudou sua versão e confirmou a participação.

Em nota emitida por sua assessoria jurídica, os responsáveis pelo Baccará Bar & Grill dizem estar à disposição da Justiça e apuram os detalhes do caso.

Fechado

A Prefeitura de Santos informou na noite desta terça-feira, 10, que intimou o Baccará Bar & Grill a encerrar suas atividades. Em nota, a Prefeitura ressalta que negou ao estabelecimento o alvará de funcionamento "em virtude de suas instalações descumprirem a legislação municipal".

Uma força-tarefa com integrantes da Secretaria de Finanças (Sefin), Vigilância Sanitária, Guarda Municipal e Ouvidoria esteve no local nesta terça-feira, 10, e constatou que a casa noturna tem entrada pela Avenida Epitácio Pessoa e saída pela Rua Oswaldo Cóchrane, o que não é permitido pela legislação.

Além disso, para funcionar como casa noturna, o estabelecimento precisa de uma vistoria da Secretaria do Meio Ambiente (Semam). O descumprimento da ordem pode ser punido com multa de R$ 1,3 mil a R$ 10 mil ou embargo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.