AP/Divulgação
AP/Divulgação

Exposição Salvador Dalí bate recorde de público no Tomie Ohtake

Mostra do artista surrealista superou a Obsessão Infinita, de Yayoi Kusama, antiga líder do ranking do instituto, em mais de 15 mil entradas

Gheisa Lessa, O Estado de S. Paulo

14 Janeiro 2015 | 20h44

Encerrada no último domingo, 11, a exposição Salvador Dalí bateu recorde de público no Instituto Tomie Ohtake, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo com 537.754 visitas. O topo do ranking era da exposição Obsessão Infinita, de Yayoi Kusama - que em dois meses levou 522.136 visitantes ao local.

Apenas durante a primeira semana do ano, de 6 a 11 de janeiro, mais de 83 mil pessoas visitaram o instituto para ver de perto quadros e ilustrações do catalão Salvador Dalí - as filas chegaram a ter duas horas de espera. As obras ficaram expostas durante quatro meses, de outubro de 2014 até janeiro deste ano. 

2014 foi o ano que o Instituto recebeu o maior número de público desde sua fundação. Com 17 exposições, o espaço conseguiu atrair mais de 1,4 milhão pessoas de terça a domingo. Depois de apresentar a obsessão por bolas de Yayoi, o instituto apostou no 'Histórias Mestiças' com as obras de Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Portinari, Lasar Segall, entre outros. Em dois meses, de 6 de agosto a 5 de outubro, foram mais 111.123 visitas ao Tomie Ohtake. 

Agora o objetivo, segundo Ricardo Ohtake, presidente do instituto, é apresentar obras do pós-Segunda Guerra Mundial, com foco maior no período surrealista. Filho da artista Tomie Ohtake, Ricardo administra o centro em parceria com seu irmão Ruy Ohtake, responsável pela arquitetura do prédio. 

Miró e Frida Kahlo. Para este ano, a organização do Instituto Tomie Ohtake espera que a frequentação continue em alta, se não maior. A próxima mostra da programação apresenta os trabalhos da paulistana Renata Tassinari. Serão mais de 50 pinturas feitas desde 1980 até 2013 reunidas pela primeira vez. A disposição dos materiais terá como fio condutor a importância que o procedimento da colagem adquiriu na formação da poética de Tassinari. Os interessados poderão conhecer os trabalhos a partir de 6 de fevereiro. 

Ainda sem data de início definida, mas confirmadas pela assessoria de imprensa do instituto, acontecem também neste ano exposições sobre o pintor e escultor surrealista catalão Joan Miró (prevista para maio) e com os trabalhos da mexicana Frida Kahlo (agendada para o segundo semestre).

Serviço:
Exposição: Cor e estrutura - pinturas, desenhos e colagens de Renata Tassinari
Inauguração: dia 05 de fevereiro de 2015, às 20h
Visitação: 06 de fevereiro a 29 de março de 2015
De terça a domingo, das 11h às 20h

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.