Zonas sul e leste concentram piores trechos de lentidão

Julho teve redução de 21,68% nas interferências no trânsito provocadas por veículos pesados

Solange Spigliatti e Bárbara Souza, estadao.com.br e Jornal da Tarde

05 de agosto de 2008 | 07h57

O excesso de veículos e um acidente envolvendo um caminhão complicaram o tráfego de veículos no começo da manhã desta terça-feira, 5, principalmente nas zonas sul e leste de São Paulo. A carga de azulejos de um caminhão caiu em três das quatro faixas de rolamento da pista sentido Imigrantes da Avenida dos Bandeirantes, na zona sul da cidade, por volta das 6 horas.   Veja também Acompanhe a situação do trânsito rua-a-rua Entenda as novas medidas contra o trânsito  Conheça o histórico do trânsito na cidade    A pista, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), foi liberada às 7h07, mas às 7h30 ainda causava morosidade de quase três quilômetros. Na zona leste, o excesso de veículos e alguns carros quebrados em principais vias da região complicavam o trânsito na Avenida Radial Leste, que apresentava quase cinco quilômetros de engarrafamento.   De acordo com a CET, às 7h45 foram registrados 59 quilômetros de ruas e avenidas congestionadas na Capital. Desse total, 21 quilômetros estavam concentrados na zona sul e outros 18 quilômetros estavam localizados na zona leste.   Menos acidentes   No primeiro mês de restrições à circulação de caminhões na Capital, o número de interferências no trânsito provocadas por esses veículos caiu 21,68% - julho teve 523 ocorrências a menos envolvendo caminhões em comparação a junho. No total, foram registradas 1.889 ocorrências no mês passado, contra 2.412 em junho.   São consideradas ocorrências desde acidentes de trânsito até caminhões quebrados na via. Para a Secretaria Municipal de Transportes, o trânsito tende a fluir melhor com a redução de acidentes, atropelamentos ou caminhões quebrados nas ruas, que levam, em média, 50 minutos para serem retirados da via. Um caminhão quebrado produz cerca de 3 quilômetros de lentidão a cada 15 minutos. Em média, cada caminhão causa 10 quilômetros de fila.   Segundo o secretário de Transportes, Alexandre de Moraes, ainda é cedo para comemorar e estabelecer o real reflexo da redução das ocorrências no trânsito, mas ele diz que é sensível a melhora na retomada da fluidez após uma interferência provocada por um caminhão parado na via. "Veículos grandes são muito mais difíceis de serem removidos que os pequenos. Antes, somava um caminhão ao outro e provocava um efeito cascata, com várias intercorrências ao longo do dia", diz.   Restrições   Desde o dia 30 de junho, caminhões só podem trafegar pela Zona Máxima de Restrição (ZMRC) das 21h às 5h e ficaram sujeitos ao rodízio municipal de veículos, como os carros, a partir do dia 28 de julho. Também houve a ampliação da ZMRC de 25 km² para 100 km². Já os Veículos Urbanos de Carga (VUCs), que têm até 6,3 metros, estão limitados a um rodízio que combina dias ímpares e pares de acordo com o final da placa, desde 30 de julho.   Com isso, a secretaria estima ter tirado de circulação no Centro Expandido cerca de 70 mil caminhões por dia, considerando a ZMRC e o rodízio de placas de caminhões e VUCs nos picos da manhã (7h às 10h) e tarde (17h às 20). Até o início das restrições, circulavam, diariamente, cerca de 210 mil caminhões na Capital, segundo a secretaria. Só na Marginal do Tietê, são 63 mil, independentemente do horário, que agora obedecem as regras.   Mesmo assim, muitos caminhoneiros ainda descumprem a lei. Foram aplicadas só na ZMRC de 28 de junho até sábado, 25.252 multas, 7.091 delas para VUCs. Outros 3.053 caminhões desrespeitaram o rodízio até a manhã de segunda-feira.   Ocorrências   Embora o número ainda seja alto, a maior redução de ocorrências foi com relação a veículos imobilizados na pista - quebrados, por exemplo. Foram 1.940 em junho e 1.546 no mês passado. Acidentes com e sem vítimas também caíram, de acordo com o levantamento. Em junho, houve 356 acidentes - 51 deles com vítima. A queda em julho foi de 96 ocorrências desse tipo: dos 260 acidentes registrados no mês passado, 36 tiveram vítima.   Piores trechos congestionados   - Corredor Norte-Sul, sentido Santana, entre Viadutos Antônio de Carvalho Aguiar e João Julião da Costa Aguiar, com 5.458 metros; - Avenida Radial Leste, sentido Centro, pista expressa entre Rua Wandenkolk e Viaduto Pires do Rio, com 4.700 metros; - Marginal Tietê, sentido Castelo Branco, pista expressa entre Pontes Jânio Quadros e Aricanduva, com 4.200 metros; e pista local entre Ponte Jânio Quadros e Hospital Vila Maria, com 3.000 metros; - Avenida dos Bandeirantes, sentido Imigrantes, entre Viaduto Bandeirantes e Marginal Pinheiros, com 2.700 metros; - Ligação Leste-Oeste, sentido Lapa, entre Rua Antonio e Viaduto Alcântara Machado, com 2.650 metros;   Situação dos principais corredores   Zona sul - Avenida dos Bandeirantes: trânsito complicado no sentido Imigrantes, entre Viaduto Bandeirantes e Marginal Pinheiros, com 2.700 metros - Marginal Pinheiros: lentidão no sentido Castelo, pista local, entre Pontes Cidade Jardim e Ary Torres, com 830 metros; - Avenida Morumbi: trânsito normal - Avenida Ibirapuera: trânsito normal   Zona oeste - Avenida Rebouças: morosidade no sentido Centro, entre Avenida Brasil e Rua Antonio Rosa - Ligação Leste-Oeste: tráfego carregado no sentido Lapa, entre Rua Antonio e Viaduto Alcântara Machado, com 2.650 metros - Avenida Francisco Morato: trânsito normal   Zona norte - Marginal Tietê: congestionamento no sentido Castelo Branco, pista expressa entre Pontes Jânio Quadros e Aricanduva, com 4.200 metros; e pista local entre Ponte Jânio Quadros e Hospital Vila Maria, com 3.000 metros - Corredor norte-sul: lentidão no sentido Santana, entre Viadutos Antônio de Carvalho Aguiar e João Julião da Costa Aguiar, com 5.458 metros - Avenida Cruzeiro do Sul: trânsito normal - Avenida Braz Leme: congestionamento no sentido Centro, entre Ponte da Casa Verde e Rua Zanzibar   Zona leste - Radial Leste: trânsito lento no sentido Centro, pista expressa entre Rua Wandenkolk e Viaduto Pires do Rio, com 4.700 metros - Avenida Aricanduva: trânsito normal - Avenida Salim Farah Maluf: tráfego intenso no sentido Marginal, pista expressa entre Ponte do Tatuapé e Rua Ulisses Cruz   Centro - Avenida do Estado: lentidão no sentido Santana, entre Ruas Pacheco e Chaves e Palmares - Avenida Paulista: trânsito normal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.