X-9 leva deboche e Amazônia 'carnavalizada' para o Anhembi

Penúltima escola a desfilar no primeiro dia em SP ironiza a cultura de massa americana e aposta no exagero

Andréia Sadi, do estadao.com.br

21 Fevereiro 2009 | 06h58

O enredo escolhido pela X-9 Paulistana para o carnaval 2009 foi a Amazônia, mas de ecologicamente correto não teve nada. Na contramão da tendência quando o tema é a floresta, o objetivo da escola não foi enaltecer suas belezas, mas sim fazer um deboche da cultura de massa americana, segundo o carnavalesco Paulo Führo de Andrade, e apresentar uma Amazônia "carnavalizada", alfinetando a internacionalização da região.   O destaque feminino ficou por conta de Priscila Reis, a rainha da bateria, mas a coreógrafa da comissão de frente, Cristiane Rabelo, também fez bonito ao decidir participar do desfile fantasiada de índia e não apenas como condutora da equipe de 14 "guerreiros índios".   Veja também:  Confira galeria de fotos do desfile da X-9  Você é o jurado: avalie o desempenho das escolas   Blog: dicas para quem quer curtir e para quem quer fugir da folia Especial: mapa das escolas e os sambas do Rio e de SP    Saiba como chegar ao sambódromo    Crédito: Sérgio Neves/AE     A eterna chacrete Rita Cadillac enfeitou um dos carros alegóricos da X-9, dentro de uma alegoria de melancia. Nas laterais, adereços representaram frutas, como bananas e abacaxi. Neste mesmo carro, uma sambista apareceu com o corpo todo pintado com as cores da bandeira do Brasil de um lado e do outro, dos EUA; no meio, os dizeres: "Vende-se".   Muitos detalhes, adereços e exageros tomaram conta da avenida durante a passagem da X-9 pelo Anhembi. O carro abre-alas "A Barca Sagrada de São Sebastião" chamou a atenção pela riqueza em detalhes- centenas de bolas penduras, leques, e adereços compuseram o visual exagerado do carro.    O carro "Contraste Amazônico: Você Decide" trouxe uma alegoria do palhaço Ronald McDonald, símbolo de uma das maiores redes de fast-food norte-americanas, comendo um "lanche": boi de Parintins. No topo, o carro apresentou um símbolo com os dizeres "Não, EUA". Houve perfomances de imitações de Madonna, Rambo, Superman e Homem-Aranha- todos ícones da cultura estrangeira.     Crédito: José Patricio/AE   Foram 3.800 componentes, 25 alas e cinco carros alegóricos que levaram o enredo Amazônia... Consegumos conquistar com o braço forte...Do esplendor do Havea Brasiliensis à busca pela terra sem males para a a avenida.   Fundada em 1975, a escola leva o nome de um personsagem dos quadrinhos, o agente secreto X-9. Em 2008, ocupou o 6º lugar dos desfiles do Grupo Especial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.