Epitacio Pessoa/AE
Epitacio Pessoa/AE

'Vou manter o processo. Véu não é acessório'

Órgão alega que houve falha técnica durante o exame, mas farmacêutica insiste que o problema foi sua vestimenta

Entrevista com

Cida Alves, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

18 Outubro 2011 | 03h02

Aos 17 anos, a farmacêutica Ahlam Saifi, de 29, começou a usar o hijab, vestimenta muçulmana que inclui véu cobrindo a cabeça, e nunca havia se sentido discriminada. "Até no RG tenho foto com o véu." No sábado, ela teve de deixar a sala onde fazia uma prova para renovar a carteira de habilitação por se recusar a tirar o véu. A supervisora disse que a prova de Ahlam seria bloqueada por haver norma do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) que proíbe o uso de qualquer acessório que dificulte a identificação do condutor. O caso foi parar na delegacia.

O Detran negou que tenha havido discriminação e disse que um problema técnico bloqueou a prova de Ahlam e de outros sete condutores em cidades diferentes, o que não teve nenhuma relação com o fato de ela usar véu. O Centro de Formação de Condutores (CFC) diz que houve mal-entendido e que as supervisoras da prova pensaram que o bloqueio era pelo uso do véu, que havia sido detectado pelo Detran por meio do monitoramento por câmera que mostra a imagem do condutor na hora da prova.

"Sei que não houve problema técnico e vou levar o processo até o fim para que essa situação não se repita", disse Ahlam. O Detran vai investigar o caso e o CFC pode ser descredenciado.

Você acredita que foi discriminada?

Acho que foi um caso de falta de conhecimento, que levou a um preconceito, pois incluíram o véu na norma que proíbe o uso de acessórios durante a prova. Acontece que o véu não é um acessório, mas uma prática religiosa, como o jejum ou a oração. Não só eu como pessoas de outras religiões podem se sentir ofendidas com essas comparações. E isso não tem muito cabimento em um país como o Brasil, com uma diversidade religiosa tão grande.

Depois da denúncia você conseguiu renovar sua CNH?

Hoje (ontem) pela manhã, me informaram que a minha prova já estava desbloqueada. Estive na autoescola e já terminei a prova que havia começado no sábado. (O CFC informou que ela foi aprovada.)

O Detran e a autoescola afirmam que houve um problema técnico.

Quero deixar claro que não parei a prova por um problema técnico, mas porque me disseram que só poderia continuar na sala se tirasse o véu. Ainda não sabemos de quem é a responsabilidade, mas vou aguardar a investigação da polícia e levar o processo até o fim. Não posso deixar as coisas por isso mesmo, para que esse tipo de situação não se repita. A religião islâmica não é uma brincadeira de tira e põe o véu.

Você já havia passado por esse tipo de problema antes?

Nunca cheguei ao ponto de ter de sair de um lugar por causa do véu. Foi um constrangimento muito grande. Quando fui renovar meu RG para ter uma foto com o hijab me pediram um documento comprovando que formava parte da comunidade muçulmana. Mas foi tudo rápido e fácil. Fiz toda a faculdade usando o véu e, no início, percebi nos colegas um pouco de receio de se aproximar. Pensam que somos pessoas fechadas, mas, depois que nos conhecem, veem que somos como todo mundo.

Qual o significado do véu?

Na nossa religião, o corpo é reservado para a família. Só posso mostrá-lo para meu marido e meus filhos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.