Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Voos da TAM atrasam e empresa culpa o tempo

A dois dias da temporada de férias, cancelamentos e atrasos atingiram 34% das decolagens da companhia, número três vezes maior que o normal

Bruno Tavares e Pedro Antunes, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2010 | 00h00

A dois dias do início da temporada de férias, passageiros da TAM enfrentaram ontem atrasos e cancelamentos. Os problemas começaram no sábado e continuaram durante todo o dia de ontem. Às 22 horas, segundo balanço da Infraero, 156 dos 745 voos (20,9 %) programados pela companhia partiram com atrasos superiores a 30 minutos. Outros 99 (13%) foram cancelados.

Em um dia normal, a média de atrasos fica em 10%. Os cancelamentos não ultrapassam 5%.

Em nota, a TAM atribuiu os transtornos às chuvas que atingiram a Região Sudeste entre a noite de quinta-feira e a madrugada de sexta-feira, "o que prejudicou a malha aérea e a escala da tripulação". Segundo a empresa, o fechamento do Aeroporto Salgado Filho (Porto Alegre), na manhã de domingo, também teria prejudicado as operações.

Fontes do setor, no entanto, afirmam que os transtornos foram causados pela recusa de tripulantes em assumir voos. Na quinta-feira, a TAM teria distribuído a funcionários escalas para o restante de novembro que suprimiriam folgas. Na tentativa de contornar a situação, a empresa teria decidido atrasar ou cancelar voos de "baixa densidade" - em que a taxa de ocupação dos aviões é pequena.

O voo do estudante João Batista, de 27 anos, deveria partir do Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, rumo a Natal, às 20h10 de domingo. Quando ele chegou ao check-in da TAM, foi informado que seu voo havia sido cancelado, sem explicação. Foi obrigado a esperar duas horas até descobrir como voltaria para casa. Batista e outros 71 passageiros foram realocados em dois voos da Gol, das 21h45 e 22h45.

A moçambicana Engracia Bangalane, de 33 anos, iria para Florianópolis no voo das 3 horas de hoje, também cancelado. Sua viagem foi remarcada para as 13h45. "É a terceira vez que venho para o Brasil. Nunca passei por isso antes. Irrita bastante", disse.

O comandante Gelson Fochesato, presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, descartou que os problemas da TAM tenham relação com a campanha salarial da categoria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.