Voo Rio-Paris da Air France faz pouso de emergência no Marrocos

Airbus aterrissou em Casablanca após avaria no motor. Passageiros seguiriam ainda ontem para a França

FABIO GRELLET / RIO, O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2012 | 02h03

Um Airbus A330 da Air France - que seguiria do Rio para Paris com 201 passageiros e 12 tripulantes - precisou desviar de sua rota e pousar no Aeroporto de Casablanca, no Marrocos, por causa de um problema técnico no motor do avião. De acordo com a empresa, a aeronave, que realizava o voo AF-445, aterrissou com segurança às 8h51 de ontem (horário local).

Em nota, a Air France afirmou que o avião sofreu "uma avaria do motor que implica, segundo os procedimentos e instruções da companhia, a parada do motor e mudança de rota com toda segurança para o aeroporto mais próximo". A nota segue explicando que "a preparação foi feita e a tripulação aplicou o procedimento, garantindo a segurança do voo. O trabalho de investigação técnica permitirá estabelecer as condições exatas do defeito encontrado no motor".

No Aeroporto de Casablanca, ambulâncias e equipes de salvamento aguardavam a chegada da aeronave. Ainda segundo a companhia, os passageiros foram atendidos - receberam informações e alimentação. Eles seguiriam ontem mesmo para Paris em outra aeronave enviada para a operação.

Tragédia. Em 31 de maio de 2009, um Airbus A330 da Air France na mesma rota Rio-Paris caiu no Oceano Atlântico, matando 228 pessoas. O relatório final sobre o acidente, de julho deste ano, concluiu que os pilotos foram induzidos ao erro.

Há pouco mais de um mês, também um Airbus A330, porém da TAM e na rota Paris-Rio, teve de regressar com os 201 passageiros ao Aeroporto Internacional Charles De Gaulle por problemas técnicos em um dos motores. O avião pousou 17 minutos após a decolagem.

Em 26 de setembro, um outro voo da TAM, Rio-Nova York, precisou fazer um pouso de emergência no próprio Aeroporto John F. Kennedy. Havia 190 passageiros a bordo. O motivo do procedimento foi um defeito no trem de pouso dianteiro, corrigido a 15 metros da pista.

Em janeiro, outro voo Paris-Rio da TAM, com 160 passageiros, voltou ao Charles De Gaulle 1h após decolar. O avião teve de dar voltas sobre o Canal da Mancha para queimar querosene.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.