Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Voo irregular de drone fecha Aeroporto de Congonhas por 20 minutos

Caso ocorreu nesta terça-feira; interrupção fez 16 voos atrasarem

Júlia Marques, O Estado de S.Paulo

09 de janeiro de 2019 | 18h20

SÃO PAULO - O voo irregular de um drone nas proximidades do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, no início da tarde desta terça-feira, 8, obrigou o terminal a interromper as operações durante 20 minutos. Dezesseis voos ficaram atrasados. 

Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), o sistema de controle de tráfego aéreo de São Paulo foi notificado do avistamento do drone e as aproximações para pouso foram suspensas por 20 minutos entre 13h10 e 13h30 no Aeroporto de Congonhas.

A Infraero informou que houve atrasos de mais de 30 minutos em 16 voos entre 13h11 e 14h30 - três deles voos de chegada e 13, de partida. Após as 14h30 desta terça e até a tarde desta quarta-feira, 9, a operação do terminal está normalizada. 

Segundo a FAB, os drones não podem sobrevoar áreas em um raio de 9 quilômetros de um aeródromo, incluindo as zonas de aproximação e de decolagem. Voos próximos de aeroportos e helipontos podem ser punidos com prisão de dois a cinco anos por expor a perigo uma aeronave. Em dezembro do ano passado, havia mais de 59 mil drones cadastrados na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). 

Outros casos

Em 2017, um drone foi avistado perto do Aeroporto de Congonhas, paralisando as operações de pouso e decolagem por aproximadamente duas horas. Segundo o Decea, mais de quarenta voos foram afetados e centenas de pessoas tiveram suas atividades prejudicadas. 

Nesta terça-feira, o Aeroporto de Heathrow, em Londres, ficou fechado por aproximadamente uma hora por causa do avistamento de um drone. O aeroporto - o de maior tráfego do mundo, com 78 milhões de passageiros por ano - manteve as operações suspensas como "medida de precaução".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.