Vontade de chamar o Raul

Contagem regressiva

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

13 Julho 2012 | 03h05

Quando, afinal, o mercado vai ficar nervoso por causa da queda da taxa de juros?

Eu, hein!

Uma coisa intriga a polícia nesse caso do pastor evangélico que, descobriu-se dia desses, é dono do carro que pegou fogo na Via Dutra com R$ 100 mil escondidos no motor: por que diabos ele não viajava com o dinheiro na cueca, ué?

Mal comparando

José Serra já recebeu mais multa do TRE - foram quatro neste ano - do que Thor Batista do Detran!

Made in Brazil

O pão de queijo brasileiro já está pesando quase tanto quanto a exportação de jegue na balança comercial com a China.

Bullying sexual

Grupos de homens de várias capitais brasileiras organizam pela internet para um fim de semana ainda a ser marcado a Marcha da Insignificância Peniana. Protestam contra a mulher que usou tal argumento para mover ação contra o ex-marido na Justiça do Amapá! Mal comparando, como bem disse ontem a presidente Dilma, "uma grande nação não se mede pelo PIB".

Só o que faltava

O Congresso está ameaçando suspender o recesso parlamentar marcado para começar na próxima quarta-feira. Pode? O eleitor precisa descansar, caramba!

Nem ficando

Não rolou nada no reencontro de Adriano com a bola no Ninho do Urubu. Do jeito que o Imperador foi respeitoso com ela, vai demorar um bocado até voltar a comê-la.

Tem horas em que o melhor não só para o depoente como para a própria CPI que o convocou é o sujeito se fazer valer do sagrado direito de ficar calado. Quebrar o silêncio sem dar nome aos bois quase sempre dá bode.

Taí o prefeito de Palmas que não me deixa mentir! Raul Filho abriu a boca na CPI do Cachoeira para se definir como um "boi expiatório" nas supostas ligações de políticos com o bicheiro de Goiás.

Poderia ter dito "bode de piranha", "mico de presépio", "robalo paraguaio" ou "anta de geladeira", dava no mesmo, é tudo "conversa pra cavalo dormir"!

Alguém que lamenta "a infelicidade de ser filmado" com a boca na botija, francamente, o melhor que faz ao ser cobrado a respeito é enfiar a cabeça num buraco feito albatroz.

Em outro braço do escândalo Cachoeira, soou também de forma esquisita o torpedo que uma afilhada de Demóstenes Torres disparou para o celular do padrinho em meio à sessão que lhe cassaria o mandato no Senado e os direitos políticos até 2027: enviar votos de "força na peruca" a um careca, convenhamos, é como desejar "bom apetite" a um convalescente de cirurgia para redução do estômago.

O ex-senador bem sabe o que é isso!

Avanço natural

Depois de criar um show do Mickey Mouse em Pyongyang, o líder Kim Jong-un já prepara a Coreia do Norte para receber uma versão pirata

de Michel Teló.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.