Reservatórios tiveram alta no volume de água pelo décimo dia consecultivo
Reservatórios tiveram alta no volume de água pelo décimo dia consecultivo

Volume de seis reservatórios de São Paulo sobe

Sistema Cantereira, principal manancial que abastece a região metropolitana, apresentou alta pelo 10.º dia seguido

Marco Antônio Carvalho, O Estado de S. Paulo

15 Fevereiro 2015 | 12h17

SÃO PAULO - Todos os seis principais reservatórios responsáveis pelo abastecimento da Região Metropolitana de São Paulo apresentaram alta em seus níveis de armazenamento de água. O maior deles, o Sistema Cantareira, subiu pelo 10.º dia consecutivo e atingiu a marca de 7,3% da capacidade.

As informações foram divulgadas neste domingo, 15, em relatório da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). O aumento no Cantareira aconteceu mesmo diante da fraca presença de chuva na região: foram apenas 1,8 mm de chuva entre sábado e domingo. No mês, a pluviometria já atingiu 163,5 milímetros e se aproxima da média histórica, que é de 199,1.

As chuvas registradas em fevereiro têm ajudado o sistema a apresentar leve recuperação. Em comparação ao último domingo, por exemplo, o índice estava 1,7 ponto percentual menor, com 5,7% da capacidade total.

O cálculo da Sabesp leva em consideração duas cotas do volume morto - uma de 182,5 bilhões, acrescentada em maio, e outra de 105 bilhões de litros de água, em outubro do ano passado.

Outros sistemas importantes como o Alto Tietê e o Guarapiranga também aumentaram a quantidade de água em seus reservatórios. O primeiro passou de 13,7% da capacidade para 14,1%; o segundo, de 55% para 55,2%.

Foi no Sistema Alto Tietê que caiu a maior quantidade de chuva: 13 milímetros. É também nesse sistema que se acumulou o maior índice pluviométrico do mês de fevereiro, com 173,2 milímetros.

Mananciais. Outros reservatórios também viram subir a quantidade de água. Foi o caso do Alto Cotia, que passou de 34,2% para 34,4%, Rio Grande (de 80,2% para 80,7%) e Rio Claro (31,9% para 32,1%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.