Volume de água do Sistema Cantareira bate novo recorde e chega a 13,5%

De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), há previsão de chuva para São Paulo até a próxima quinta-feira

30 Março 2014 | 17h48

O volume de água armazenado no Sistema Cantareira , em São Paulo, continua a cair e alcançou hoje, 30, mais um recorde negativo, chegando a 13,5%, 0,1 ponto porcentual abaixo do patamar registrado ontem, de acordo com dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Há um ano, o nível estava em 62%. 

Esse é o nível mais crítico desde que o sistema foi criado, na década de 1970. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), há previsão de chuva para São Paulo até a próxima quinta-feira. Amanhã o dia deve ser nublado com pancadas de chuva. Na capital, a temperatura mínima deve ser de 19ºC, e a máxima, de 26ºC. No interior, deve variar entre 11ºC e 31ºC.

Ainda de acordo com os índices divulgados pela Sabesp, as chuvas acumuladas de março na região do Sistema Cantareira somam 181,7 mm, e as média histórica do mês é de 181,1 mm. Já o Sistema Alto Tietê, que desde janeiro passou a abastecer parte da zona leste da capital paulista, antes atendida pelo Cantareira, também apresentou queda, passando de 37,5% para 37,4%. 

Na sexta-feira, 28, as represas Jaguari e Jacareí, consideradas o coração do Cantareira porque armazenam 82% da água do manancial, estavam com apenas 6,6% da capacidade, a mais baixa já registrada. Também na sexta-feira, a Sabesp anunciou investimentos de R$ 12,763 bilhões para o período entre 2014 e 2018. Deste montante, R$ 5,284 bilhões serão voltados para abastecimento de água; R$ 5,051 bilhões para coleta de esgoto e R$ 2,428 bilhões para tratamento de esgoto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.