Volta para casa com filas

A volta para casa de quem trabalhou durante a noite foi difícil na zona leste de São Paulo. Francisco Barbosa da Silva, de 59 anos, vigilante noturno da CPTM na Estação José Bonifácio, da Linha 11, deixou às 8h15 o trabalho e, às 9h50, ainda estava na fila para embarcar em um ônibus até a parada seguinte, a Estação Brás Cubas. "É a primeira vez que demoro esse tempo para chegar em casa", disse ele, que leva em média 45 minutos de trem no trajeto. "Minha filha teve de faltar na escola hoje."

O Estado de S. Paulo

02 de junho de 2011 | 09h13

A auxiliar de enfermagem Denise Guedes, de 34, havia cumprido um expediente de 12 horas de trabalho, das 20h às 8h, quando chegou à Estação Guaianazes, às 9h50. Nesta hora, ainda havia cerca de 150 pessoas na sua frente e os ônibus demoravam em média 15 minutos. "Só queria dormir", disse ela, que vinha do Pacaembu, zona oeste, e seguia para Mogi das Cruzes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.