Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal

Vodca em excesso causou morte de estudante em SP

'Rapaz que morreu bebeu pelo menos 25 copinhos plásticos de vodca', diz delegado; dois organizadores da festa foram presos

Sandro Villar, Especial para 'O Estado'

01 de março de 2015 | 11h44

Atualizado às 17h30h.

Vodca em excesso causou a morte do estudante Humberto Moura Fonseca, de 23 anos, e deixou outros seis universitários em estado de coma em Bauru, no interior de São Paulo. "O rapaz que morreu bebeu pelo menos 25 copinhos plásticos de vodca e passou mal. O campeão da competição tomou 30 copinhos e está em estado grave", explicou o delegado Mário Henrique de Oliveira Ramos, de 50 anos, da Central de Polícia Judiciária. O corpo de Humberto foi levado neste domingo para Passos, em Minas Gerais, onde ele morava.


Além de outras bebidas, como cerveja e cachaça servidas à vontade, havia um "torneio" específico para escolher os campeões de consumo de vodca. "Eles bebiam e quem não parava em pé desistia ou continuava", contou o policial, lembrando que foi servido chá de Boldo "aos que estavam passando mal". "Não havia qualquer estrutura para socorrer as vítimas", afirmou.



Dois alunos que tinha sido presos em flagrante já foram soltos. "Eles são de duas repúblicas envolvidas na promoção da festa. Nós enviamos ao juiz o pedido de prisão em flagrante por homicídio com dolo eventual", explicou o delegado. O advogado deles conseguiu a liberação na Justiça. Ambos irão responder ao processo em liberdade e também responderão pelo estado das outras vítimas. A polícia não divulgou os nomes dos suspeitos.


De acordo com o delegado, pelo menos dois mil jovens estavam na festa. "Os preços dos convites variavam e chegavam a até R$ 100, com direito de consumir bebida à vontade", completou.

 

Estado grave. Os estudantes Juliana Tibúrcio Gomes, de 19 anos, Gabriela Alves Correa, de 23, e Matheus Pierri Carvalho, cuja idade não foi divulgada, continuam internados em estado grave. Eles estão inconscientes. Juliana e Matheus estão na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Unimed. Já Gabriela está na UTI do Hospital Estadual. 

Tudo o que sabemos sobre:
Acidentecoma alcóolicovodca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.