Vizinhos falam de prostituição no Butantã

A situação é semelhante no Parque Urbano Cohab Raposo Tavares, no Butantã. Não há iluminação e segurança - à noite, moradores disseram que o local vira ponto de prostituição e de consumo de drogas. Uma trilha prometida para a mata ao lado nunca foi construída. Os banheiros previstos também nunca foram instalados e os bebedouros estão secos. O descaso também é visível no monte de entulho - sofás, colchões velhos e lixo doméstico se acumulam logo na entrada do parque.

, O Estado de S.Paulo

14 Fevereiro 2011 | 00h00

Segundo a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, é necessário levar em conta que mesmo parques não entregues oficialmente já ajudam a qualificar a área, protegem a natureza e são utilizados de alguma maneira pela comunidade. A pasta admitiu que há atraso nas instalações de playgrounds, mas disse que "a compra deve ser feita ao longo deste ano e a instalação será feita gradativamente".

A nota ainda informou que os parques estão sempre em evolução, expandindo os equipamentos, e por isso, nunca estão totalmente completos. "Mesmo o Ibirapuera está recebendo novos equipamentos e opções para a população ainda hoje, 60 anos após sua inauguração."

Verde em números

21% da capital conta com cobertura vegetal, de acordo com o "Atlas Ambiental".

26 mil m² de vegetação por habitante tem a região de Marsilac, no extremo sul paulistano. Esse número de vegetação chega a zero nas áreas do Brás e de Santa Cecília, na região central.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.