Vitória terceirizada

Nem nos bons tempos do Rubinho Barrichello se viu nada igual: nunca antes na história deste País um terceiro lugar foi tão comemorado pelos brasileiros. Marina Silva conseguiu a proeza de sair vencedora de uma competição que vai ainda ser decidida pelos seus principais adversários. E pensar que, há menos de 1 mês, o nadador César Cielo chorou de vergonha ao receber uma medalha de bronze nos 100 m livre.

Tutty Vasques, O Estado de S.Paulo

05 de outubro de 2010 | 00h00

A ideia de "perder ganhando", mote da candidata do PV, se consagra, assim, como a grande novidade da corrida presidencial até aqui. O "efeito Marina" é contagiante: José Serra comemorou o segundo lugar mais intensamente que Dilma Rousseff. A candidata do governo "ganhou perdendo" o primeiro turno. Terceirizaram a vitória!

Mas, antes que a torcida mineira comece a comemorar a situação do Cruzeiro na tabela do Brasileirão, é bom lembrar que nem todo terceiro colocado está em festa. Netinho de Paula, como se sabe, "perdeu perdendo" mesmo. O próprio Gabriel Chalita, terceiro mais votado para deputado federal, não tem comemorado muito o posto pra não chamar atenção para o fato de que, à sua frente, estão Garotinho e Tiririca. Bom lugar, convenhamos, não é!

Desilusão política

Sabe o que deixou a Mulher Pera mais chateada ao saber que o TRE-SP não registrou um só voto em sua candidatura à Câmara dos

Deputados?

Eduardo Suplicy só lhe deu apoio da boca pra fora. A boba caiu direitinho no papo do senador!

Um para o outro

A equação montada para levar Vanderlei Luxemburgo ao Flamengo é das mais simples: menos com menos dá mais! Os sucessivos fracassos do técnico e do clube, separadamente no Brasileirão 2010, tendem a se anular pela soma.

Rumo a Abu Dabi

Pela euforia dos eleitores de Marina Silva, o terceiro lugar no primeiro turno deve ter garantido à candidata uma vaga na Libertadores de 2011.

Até que enfim!

Derrotado nas urnas, Tasso Jereissati não terá alternativa senão aproveitar a vida de rico que tem pela frente. Seus amigos tentam, há um tempão, convencer o senador a deixar a pobreza da política pra trás.

A luta continua

Marqueteiros de Tiririca já estão em campanha para convencê-lo a manter a caracterização de palhaço depois que assumir suas funções no Congresso. De terno e sem peruca, francamente, não há quem consiga dar jeito na imagem do campeão nacional de votos.

Temeridade

O mundo do samba está apreensivo! Será que, derrotado nas urnas, Netinho de Paula vai voltar a fazer pagode? Era só o que faltava!

Geraaaldo!!!

De Alckmin, já eleito, comentando a vitória por pequena margem de votos no primeiro turno, em São Paulo: "Apertadinha é mais gostoso!" Pode?

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.