Vítima que morreu em acidente no Itaim tinha bebido

A defesa do engenheiro Marcelo Malvio de Lima, de 38 anos, pretende usar um exame toxicológico que aponta que a advogada Carolina Menezes Cintra Santos, de 28, estava embriagada quando a Tucson que dirigia cruzou o sinal vermelho e foi atingida pelo Porsche do rapaz. Para a polícia, o resultado do laudo não muda o fato de o engenheiro ter assumido o risco de matar, por dirigir muito acima da velocidade permitida no local. O acidente aconteceu em 9 de julho na Rua Tabapuã, no Itaim-Bibi, zona sul.

O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2011 | 03h02

Segundo o exame toxicológico, foi detectada uma concentração de 2,1 gramas de álcool por litro de sangue da advogada no momento do acidente, acima do 0,6 grama apontado como limite pela legislação.

"Isso descaracteriza por completo o precipitado enquadramento por homicídio com dolo eventual e determina que a velocidade dele não teve influência no acidente", defende o advogado de Lima, Celso Villardi. / W.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.