Vítima pensa em fechar o negócio

O comerciante M. inaugurou em 2008 a loja de construção que foi assaltada quatro vezes neste ano. Investiu ali o dinheiro que conseguiu guardar no período em que trabalhou no Japão. Agora, já pensa em fechar o estabelecimento. "Fiquei cinco anos no Japão trabalhando para isso aí. Dá vontade de voltar. Mas, mesmo assim, não perco a fé no Brasil", afirma M.

, O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2010 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.