Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Vítima do incêndio em Santa Maria é sepultada em São Caetano do Sul

Rafael Paulo Nunes Carvalho, de 32 anos, havia ido à cidade, no Rio Grande do Sul, para visitar amigos

Tiago Dantas, O Estado de S. Paulo

29 Janeiro 2013 | 09h53

Atualizada às 13h01

SÃO PAULO - O corpo do administrador de empresas Rafael Paulo Nunes Carvalho, de 32 anos, um dos 231 mortos no incêndio da casa noturna Kiss, em Santa Maria, Rio Grande do Sul, foi enterrado por volta das 11h20 desta terça-feira, 29, no Cemitério das Lágrimas, em São Caetano. A cerimônia foi acompanhada por cerca de 60 amigos e familiares. A última homenagem a Rafael foi uma salva de palmas, acompanhada pelo hino do São Paulo, seu time do coração.

Morador de Santo André, também no ABC, e são-paulino fanático, Rafael foi velado no Hospital São Caetano. Rafael foi a Santa Maria visitar amigos que conhecera durante viagens que fez à Austrália e à Nova Zelândia.

Homenagem. Amigos e familiares de Carvalho vestiram a camisa do São Paulo para homenageá-lo, inclusive quem não torce para o time. O clube enviou uma coroa de flores e uma bandeira para a família de Rafael, que, segundo os amigos, não perdia nenhum jogo.

"Ele era um menino bom. É disso que sempre vou lembrar, da bondade dele", disse o consultor de informática Paulo Tadeu Nunes Carvalho, pai de Rafael, após o enterro. "Aconteceu uma tragédia, perdi meu filho. Espero que isso possa servir de exemplo." O consultor disse que pretende contribuir com uma associação de pais de vítimas do desastre de Santa Maria.

Mais conteúdo sobre:
Santa MariaKiss

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.