Vítima descobre golpe pelo site da Nota Fiscal

Ao conferir seus créditos, jovem encontrou compra de carro por R$ 24 mil. Ela avisou a polícia e três suspeitos foram detidos

Rejane Lima / SANTOS, O Estado de S.Paulo

28 de abril de 2011 | 00h00

O acesso ao site da Nota Fiscal Paulista, da Secretaria da Fazenda de São Paulo, fez com que a analista de sistemas Camila Elena Muza Cruz, de 28 anos, percebesse que estava sendo vítima de um golpe, evitasse o prejuízo e ajudasse a Polícia Civil do Guarujá, na Baixada Santista, a esclarecer três casos de estelionato.

O golpe foi descoberto quando Camila consultou no site do governo quantos créditos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) tinha a receber e percebeu que, entre as compras com seu CPF, havia um Fiat Palio zero quilômetro no valor de R$ 24 mil.

"Vi a compra, descobri a concessionária pelo CNPJ e liguei lá. Fui informada que o carro seria entregue naquele dia", diz Camila, que mora em São Paulo e registrou a ocorrência no 28.º DP, na Freguesia do Ó, zona norte, que avisou a polícia do Guarujá.

Investigadores ficaram na concessionária aguardando o comprador e, assim, detiveram a comerciante Erineide Holanda de Araujo, de 29, com documentos falsos em nome de Camila. Ela estava acompanhada por seu companheiro e um amigo. Os três foram encaminhados à Delegacia Sede do Guarujá, onde foram ouvidos e dispensados. "Na abordagem, Erineide não se identificou como Camila e a compra já havia sido feita. Ela não pode ser presa em flagrante e está respondendo por estelionato em liberdade", disse o investigador chefe, Paulo Sergio Carvalhal de Lima.

Na delegacia, Erineide contou que adquiriu os documentos falsos na Praça da Sé por R$ 200. A partir daí, a polícia começou a investigar outros casos de compras de veículos com documentos falsos e já identificou outras duas vendas na mesma concessionária. Uma mulher foi detida em flagrante ao tentar comprar um veículo usando documentos de uma doméstica de São Vicente. Na sexta-feira, um mecânico de 36 anos foi preso pelo mesmo motivo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.