Vítima de explosão no Conjunto Nacional tem recaída

Policiais pretendiam tomar depoimentos nesta sexta-feira, mas HC acha que paciente não terá condições

da Redação, estadao.com.br

25 de julho de 2008 | 08h15

Rildo Elias Soares, 39 anos, que sofreu queimaduras em 15% do corpo e uma fratura na perna direita, na explosão que ocorreu no Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, teve uma recaída, mas seu quadro clínico continua estável. Soares e a outra vítima, Santo Galli Sobrinho, de 51 anos, continuam internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital das Clínicas. A explosão aconteceu na tarde de terça-feira, quando Sobrinho e Soares realizavam a manutenção do aparelho de ar-condicionado da academia Bio Ritmo, no segundo andar do edifício.Segundo a assessoria de imprensa do HC, houve uma piora no estado de saúde de Soares por causa da fratura. No dia do acidente, ele foi levado para o hospital e passou por uma cirurgia na perna. Sobrinho, que teve 60% do corpo queimado, continua em estado grave e corre risco de morte. Policiais do 78º DP (Jardins), que investigam o caso, pretendiam ir nesta sexta-feira ao hospital para tomar o depoimento de Soares. De acordo com a assessoria do HC, será difícil a vítima dar declarações.

Tudo o que sabemos sobre:
Conjunto Nacionalexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.