Vítima aproveita blitz da lei seca para escapar de sequestro no Itaim Bibi

Farmacêutica estava ao volante, pois os bandidos não sabiam dirigir o carro, de câmbio automático

Pedro Rocha, do estadão.com.br,

04 Novembro 2011 | 05h49

SÃO PAULO - Uma refém foi libertada e três homens presos ao serem parados, na noite de quinta-feira, 3, em uma blitz da lei seca montada pela Polícia Militar (PM) na Avenida Hélio Pellegrino, no Itaim Bibi, zona sul de São Paulo.

 

A vítima, uma farmacêutica, de 24 anos, após sair da academia de ginástica, foi abordada por três criminosos, assim que entrou em seu Honda Fit, estacionado na Rua Diogo Jacome. O grupo entrou no veículo, um dos homens armado. "O criminoso que assumiu a direção não conseguiu sair com o carro, que é automático. Então, sugeri que eu mesma dirigisse, e eles aceitaram", contou a farmacêutica. O sequestrador com o revólver calibre 38 sentou atrás da vítima.

 

Os bandidos disseram que iriam até o bairro de Santo Amaro, para que a refém sacasse dinheiro em um caixa eletrônico, e indicaram o caminho que ela deveria seguir. Na Avenida Hélio Pellegrino, altura do número 1200, uma blitz da PM acontecia. O sargento Luiz Carlos Melo relatou que parou o carro ao perceber que a motorista estava assustada. "Pela expressão dela vi que havia algo errado. Mandei parar, ela vacilou, quando reforcei o aviso", disse o sargento.

 

Ao estacionar o carro, a farmacêutica saiu correndo, gritando que era um sequestro, e se escondeu atrás de uma viatura. Os criminosos, Carlos César Pinheiro, de 33 anos, Willian Santos Pereira, de 28, e Cássio Rodrigues da Silva, de 22, acabaram detidos e não ofereceram resistência. Cássio estava em liberdade provisória e cumpria pena por roubo. O caso foi registrado no 27º Distrito Policial (DP).

 

Atualizado às 15h34 para alteração no texto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.