Vírus do 'não curti' se alastra pelo Facebook

Aplicativo promete adicionar função na rede social, mas rouba dados

RODRIGO BURGARELLI, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2012 | 03h05

Um vírus que promete instalar um botão de "não curti" (ou dislike, no original em inglês) no Facebook está se espalhando pela internet. Usuários desavisados instalam o aplicativo na rede social e, sem saber, dão permissão para que os desenvolvedores do vírus tenham acesso aos dados pessoais de sua conta no site. Até a tarde de ontem, mais de 20 mil pessoas já haviam instalado o aplicativo em seu perfil.

Ao ter acesso à conta das pessoas que instalaram o botão, o aplicativo começa a espalhar mensagens para todos os contatos, oferecendo o serviço. Assim, ele consegue mais instalações e, com isso, continua se espalhando pela rede.

Por volta das 18 horas de ontem, o Facebook já havia bloqueado o aplicativo por causa de denúncias de usuários. O botão de "não curti" só poderia ser visto por quem já tivesse clicado e instalado a funcionalidade em sua conta.

A instalação era feita tanto no perfil do Facebook quanto na extensão do navegador do usuário. Para retirar o vírus, portanto, era preciso desinstalar o aplicativo, tanto na rede social quanto no navegador. Não havia registros de que o vírus afetasse os arquivos ou senhas de banco de quem fosse infectado.

Outros casos. Não é a primeira vez que um aplicativo oferecido de conta em conta no Facebook é, na verdade, vírus disfarçado. O mesmo tema do botão de "não curti" já foi usado no ano passado. Isso acontece por que a opção de marcar um post como "não curtido" é uma demanda antiga. A rede social dá aos usuários a opção de "curtir" os posts de outras pessoas, mas não de "descurtir".

Outros golpes já feitos no Facebook e em outras redes sociais, como o Orkut, tiveram como chamarizes os aplicativos "Mude a cor do seu perfil" e "Veja quem visitou seu perfil".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.