Virada leva 4 mi às ruas do centro; Maria Rita fecha evento

Público recorde lotou principalmente shows na Avenida São João e na Luz entre sábado e domingo

04 Maio 2009 | 01h35

Foto: Valéria Gonçalvez/AE

A cantora Maria Rita fechou a Virada Cultural com show no Palco São João

 

SÃO PAULO - Maria Rita fez jus à expectativa que havia em torno de seu show, o último da 5ª Virada Cultural na noite de domingo, no palco da Avenida São João. Ela dançou o tempo todo e flertou com ao público. Foi o final de um evento com recorde de público: ao todo, 4 milhões de pessoas compareceram às 800 atrações espalhadas pela cidade, principalmente no centro.

 

Veja também

linkComoção e nostalgia com Novos Baianos e Camisa

linkDe Wando a Reginaldo Rossi, 'todo mundo se libertou'

linkPúblico entre fogos, música, palhaços e acrobacias

linkLixo e mau cheiro se espalham pela área do evento

linkDepois de tumulto, Estação República volta a operar

mais imagens Confira galeria de fotos da 5ª Virada Cultural

 

Como nas edições anteriores, os shows musicais foram os que atraíram mais gente nas 24 horas do evento, que se estendeu entre as 18 horas de sábado até as 18 horas de domingo. Entre eles, destacaram-se os ídolos populares do palco brega no Largo do Arouche, a maratona em homenagem a Raul Seixas na Luz e os shows da São João. Se bem que cada palco teve seus bons momentos, sempre acompanhados de multidões. A maratona também teve peças de teatro, filmes de terror, dança, malabarismo e manifestações de artistas plásticos.

 

Muita gente resistiu à noitada e levou à risca a proposta de ‘virar’ a noite. Um dos mais embalados foi o palco ‘20 anos sem Raul’. "É como se ele estivesse aqui. Viro quantas noites for preciso para ficar perto da alma do Raul", dizia Ramiro Azevedo, de 34 anos.

 

A estratégia de levar o evento para a Luz foi certeira, na avaliação do presidente da SPTuris, Caio Carvalho. "No ano passado, apostamos no Parque D.Pedro, mas não deu certo. Esse ano alcançamos um público de 4 milhões."

 

O prefeito Gilberto Kassab (DEM) comemorou a o número, e comentou as reclamações sobre o lixo espalhado, o cheiro de urina que tomou os arredores de shows e o tumulto no Metrô. "O lixo e as ocorrências registradas são pequenas perto desse número." Foram registradas 512 ocorrências médicas, a maioria por intoxicação por álcool.

 

Aline Nunes, Lauro Lisboa Garcia, Valéria França, Naiana Oscar e Vitor Sorano

Mais conteúdo sobre:
Virada Cultural

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.