Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Virada Cultural terá policiamento reforçado

Em 2013, o evento foi marcado por arrastões, roubos e brigas; duas pessoas morreram

Laura Maia de Castro, O Estado de S. Paulo

07 Maio 2014 | 16h32

Atualizada às 18h14

SÃO PAULO - A 10.ª edição da Virada Cultural terá reforço na segurança em relação ao ano passado, informou nesta quarta-feira, 7, a Prefeitura de São Paulo. Em 2013, o evento foi marcado por arrastões, roubos, brigas e o mais grave: dois mortos (um a tiros e outro por overdose), cinco baleados e pelo menos dois esfaqueados.

Segundo o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), 3,7 mil policiais militares e 1,8 mil guardas civis metropolitanos (GCMs) farão o policiamento do evento. Haverá 500 GCMs a mais em comparação com 2013. "A Polícia Militar fez um trabalho intenso com a Secretaria Municipal de Cultura para repensar a logística da Virada, criando novas rotas seguras entre os palcos, que é o lugar de vulnerabilidade da população", disse Haddad. Questionada sobre o aumento do efetivo, a PM informou que não falaria sobre números por questões de segurança.

De acordo com o secretário municipal de Cultura, Juca Ferreira, haverá uma redução de 20% do território onde ocorre a Virada, medida recomendada pela PM para melhorar a segurança nos dias do evento.

"No ano passado, não tivemos problemas no palco, mas sim nas áreas de circulação, principalmente onde estava mais escuro e onde a distância de um palco para outro era muito grande. Por isso, a polícia propôs a redução de 20% do território da Virada", disse Ferreira.

O secretário afirmou que não houve diminuição no número de atrações, apesar da redução da área e do número de palcos. "Há atrações que não ocorrerão em palcos, mas sim no solo, como, por exemplo, o teatro de rua."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.