Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Virada Cultural deve ser reformulada para garantir segurança, diz Grella

Em 24 horas, o evento teve 56 presos em flagrante entre 108 indiciados por crimes como roubo, furto e tráfico de drogas

Luciano Bottini Filho, O Estado de S. Paulo

19 Maio 2014 | 15h55

Atualizada às 18h10

SÃO PAULO - O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse nesta segunda-feira, 19, que a polícia fez um trabalho intenso contra a criminalidade na 10ª Virada Cultural, neste fim de semana. "Nós tivemos um número recorde de policiais, 2.702 policiais. O trabalho da polícia foi intenso".

O secretário de Segurança Pública, Fernando Grella, também defendeu a atuação policial. "A polícia teve uma produtividade elevada. Evidente que em um evento dessa natureza, tal como está definido em locais mal iluminados em vários pontos, é impossível evitar esse tipo de ocorrências".

Grella afirmou ainda que a reformulação do evento, para encontrar um formato com mais segurança, deve ser feita. "Esse é um assunto que tem que ser refletido para que não se tire o brilho do evento. O evento deve acontecer, mas com um formato que garanta um nível de segurança mais elevado."

Prefeitura. Antes do balanço oficial ser divulgado, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), disse na tarde desta segunda-feira, 19, que a logística e a programação da Virada Cultural são decididas junto com a Secretaria da Segurança Pública (SSP).

"Nós trabalhamos a quatro mãos. As secretarias da Cultura do Estado e do município, da Segurança Urbana e da Segurança Pública sentam à mesa e fecham um diagnóstico de como a logística deve ocorrer para não comprometer o conceito da Virada. Nós queremos manter a Virada e eu entendo que é com mais cultura que nós vamos corrigir essa questão".

Haddad afirmou ainda que a capital tem problema de segurança durante todo o ano. "Não é por causa disso que você vai deixar de fazer um ato da dimensão da Virada que traz gente do interior de São Paulo e de outros estados para curtir a cidade."

Balanço. Em 24 horas, a 10.ª Virada Cultural teve 56 presos em flagrante entre 108 indiciados por crimes como roubo, furto e tráfico de drogas. O levantamento da Polícia Militar foi apresentado nesta segunda-feira pelo comandante-geral Benedito Roberto Meira. Houve também 20 adolescentes apreendidos por infrações durante o evento.

"Esse anos nós devemos ressaltar que fizemos um planejamento. Aquilo que a Polícia Militar definiu foi cumprido. Nós ficamos nos entornos dos palcos", afirmou o comandante-geral da PM. "Aqui nós precisamos é a cada ano aprimorar cada vez mais. Acho que esse ano já foi um avanço."

Meira sugeriu a diminuição de número de palcos e restringir a venda de álcool. "A venda de bebida alcoólica foi algo bastante abusivo. Isso de uma certa forma também induz a problemas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.