Viracopos deve absorver 20% das linhas de Congonhas

Da mesma forma que o governo quer mudar o perfil do aeroporto de Congonhas, retirando a sua característica de ponto de distribuição de vôos para o resto do País, também está planejada a transformação do aeroporto de Viracopos, em Campinas, de eminentemente de carga para passageiros.Nesta redistribuição de vôos que será feita, dentro de até 60 dias, o aeroporto de Campinas poderá absorver, de imediato, 20% das linhas que operam em Congonhas.Para exemplificar como o aeroporto de Campinas está subutilizado, a Aeronáutica informou que Viracopos no ano passado, teve uma média de 68 pousos e decolagens por dia. Já o aeroporto do Campo de Marte, que funciona quase que como uma oficina de táxis aéreos, diariamente são registrados 230 pousos e decolagens. Congonhas são 640 movimentos por dia e Guarulhos 420."As empresas vão ter de reestudar sua malha aérea porque, senão, estaremos apenas transferindo a concentração de vôos para outros aeroportos", declarou o brigadeiro Ramon Cardoso, diretor do Departamento de Controle do Espaço Aéreo.Segundo ele, estas mudanças e redistribuição de vôos terá de ser para vários pontos do país. Avisou ainda que os vôos redistribuídos terão de ocupar os aeroportos ao longo do dia e não concentrá-los nos horários de pico.AlternativasAlém de Viracopos, outras opções para realização de conexões e escalas hoje realizadas em Congonhas, de acordo com o governo são Galeão, no Rio de Janeiro, que poderia ter a sua capacidade de utilização dobrada, passando de 275 pousos e decolagens por dia para pelo menos 550, desde que evitando a concentração em determinados horários. Outra possibilidade é o aeroporto de Confins, em Belo Horizonte, que tem apenas 213 movimentos por dia. Uma terceira opção seria o aeroporto de Brasília, que tem 340 pousos e decolagens por dia."Brasília tem capacidade de aumentar seu movimento, mas em alguns horários porque, em outros, como entre as 7 e às 9 da manhã e das 5 às 7 da noite, são críticos", disse o brigadeiro Ramon explicando que, se todos quiserem chegar no mesmo horário, não poderão.O governo estuda ainda o aproveitamento do aeroporto de Ribeirão Preto, que poderia ser usado como alternativa para receber vôos de Congonhas. Neste caso, no entanto, são necessários novos investimentos na pista, no pátio e na torre. Este aeroporto tem ainda problemas com meio ambiente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.