Viola é preso por porte ilegal de arma

Ex-jogador teria impedido que mulher levasse o filho do casal e desacatado oficial de Justiça

RICARDO VALOTA , FELIPE TAU, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2012 | 03h04

O ex-atacante Viola, ex-Corinthians, foi detido na noite de sexta-feira em casa, no condomínio de luxo Tamboré 3, em Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo, após desobedecer um oficial de Justiça e ser flagrado com arma e munição sem autorização. Essa é a segunda vez que o ex-jogador é preso pelo mesmo motivo.

O incidente teve início com a chegada do oficial de Justiça à casa do ex-atleta. A mulher de Viola, segundo a polícia, está em processo de separação e pretendia sair de casa levando o filho do casal, de 5 anos. A Justiça autorizou a saída da criança e expediu um mandado a favor da mulher. Viola, porém, impediu que o filho fosse junto.

PMs do 20.º Batalhão foram acionados pelo oficial de Justiça e levaram o casal para a delegacia de Santana de Parnaíba. A mulher do ex-jogador afirmou que Viola guardava arma e munições na casa. O local foi vistoriado pelos policiais, que encontraram uma pistola calibre 380, um silenciador importado e cerca de 80 munições de vários calibres, entre elas de espingarda calibre 12.

Viola, segundo a polícia, foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma e munição e desobediência judicial. Ele deve permanecer preso, pois não há pagamento de fiança nesse caso. De acordo com a lei eleitoral, desde terça-feira, e até 48 horas após as eleições, nenhum eleitor pode ser preso, exceto em casos de flagrante, como o de Viola.

Esta é a segunda vez que o ex-jogador é detido. Em 2006, Viola passou 65 horas na prisão acusado de porte ilegal de arma.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.