Villa-Lobos vira QG da moda nesta semana

Mudança de calendário antecipa desfiles de outono-inverno, que já começam amanhã

VALÉRIA FRANÇA, / COLABOROU MARIANA BELLEY, O Estado de S.Paulo

28 Outubro 2012 | 03h09

O calendário da São Paulo Fashion Week mudou. Os desfiles que aconteciam tradicionalmente em janeiro e junho passaram para março e outubro. Amanhã, começa a temporada da moda outono-inverno. Até quinta-feira, 19 marcas vão desfilar suas coleções. E o cenário também mudou: em vez do prédio da Bienal do Ibirapuera, o quartel-general das tops nesta edição será o Parque Villa Lobos, na zona oeste da cidade.

Para abrigar os desfiles, uma tenda forrada com 11 mil metros de tecido camuflado foi levantada anteontem no mesmo espaço onde o Cirque de Soleil se apresentou no ano passado. Com o tema Garden Party, o designer Felipe Morozini construiu algo parecido a uma estufa. "Imaginei como seria a venda de flores e plantas na Ceagesp em 2052", explica.

Esta 34.ª edição da SPFW será completamente diferente das passadas. Não haverá lounges para patrocinadores e o espaço terá apenas duas salas de desfiles, cada uma com três camarins, e uma sala para a imprensa.

Não estarão presentes algumas marcas tradicionais, acostumadas a fazer desfiles cenográficos de impacto, como a Cavalera- que em junho mostrou sua coleção em um ferro-velho da zona leste- e a Colcci. "Fomos avisados sobre a mudança de calendário em junho. Não dava para fazer três desfiles no mesmo ano. Isso atrapalharia o lançamento da minha coleção comercial", diz Alberto Hiar, dono da Cavalera. "Mas em março estarei de volta à SPFW."

Para não pular esta edição, a Osklen, que abre a temporada de moda, optou por uma apresentação enxuta para apenas 60 convidados na moderna galeria Zipper, nos Jardins. A coleção é inspirada em looks de esquiadores. "Não será um desfile tradicional", adianta Nelson Camargo, diretor de marketing de moda da grife, sem dar maiores detalhes.

Mais prazo. "Ao todo, fizemos cinco grandes apresentações. Fora São Paulo, a marca se apresentou na semana de moda de Nova York e na Estônia. Ficou puxada a mudança de calendário da SPFW. Mas é uma alteração positiva", diz Camargo. "O planejamento fica mais redondo." Ao lançarem a coleção em outubro, as marcas passam a ter seis meses - 60 dias mais - para produzirem e entregarem a coleção.

Para empresas que trabalham com pedidos de grande escala, como a Ellus, a mudança de data nos desfiles não muda muito a rotina. "Nossa coleção comercial é sempre apresentada em outubro", contra Adriana Bozon, diretora de estilo da marca. "Agora podemos fazer uma festa só."

A grife preparou um megadesfile, com 40 figurantes, além das modelos. Com o tema polícia e fetiche, a estrela da marca será a top Alicia Kuczman, paranaense de 19 anos que na temporada passada foi recordista em entradas na passarela. Desfilou para 23 das 32 grifes do evento.

Até agora, de tops internacionais só estão confirmados os nomes de Alessandra Ambrósio e Isabeli Fontana.

CROQUI

Desenho de look de Ronaldo Fraga, que se apresenta amanhã. A coleção foi inspirada no livro Ô fim do cem, fim..., de fotos e desenhos, sobre a origem da vida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.