Vila Madalena tem 153% mais furtos na Copa

Com aglomerações de torcedores estrangeiros e brasileiros, Itaquera e Sé também registraram crescimento do crime

Bruno Ribeiro e Daniel Trieli, O Estado de S. Paulo

25 Julho 2014 | 21h04

SÃO PAULO - A Copa do Mundo provocou grandes aglomerações de pessoas em alguns locais e, com isso, aumentou drasticamente o número de furtos em alguns bairros da capital paulista em junho. Juntos, os três “bairros da Copa” - Itaquera, Pinheiros e Sé - tiveram uma alta de 86,3% no número de ocorrências se comparado com junho do ano passado. Enquanto isso, a cidade teve um aumento médio de 5,4% na mesma comparação.

O secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, confirma que nem o aumento do policiamento por causa do evento foi suficiente para reduzir o crime. “Evidentemente, com maior fluxo de pessoas, tivemos operações especiais”, afirmou Grella. “Houve focos nos quais tivemos esse contingente maior de pessoas e registramos aumento do número de roubos (apesar do aumento de policiais).”

O maior aumento foi registrado pelo 65.º DP (Artur Alvim), responsável pela área da Arena Corinthians, o Itaquerão, na zona leste de São Paulo. Em junho do ano passado, houve 78 furtos registrados. No mês passado, foram 280, o que significa um aumento de 259%.

Vila Madalena. O 14.º DP (Pinheiros), na zona oeste, teve crescimento de 153% no número de casos (de 396 para 1.002). O distrito é responsável pela Vila Madalena, que concentra bares e, durante a Copa, foi ponto de encontro de estrangeiros e brasileiros. O chamado “Carnacopa” chegou a receber até 70 mil pessoas em dias de jogos da seleção brasileira, o que também provocou conflitos entre torcedores e moradores. Na madrugada do dia 2, a Polícia Militar até usou uma bomba de gás para dispersar torcedores que não queriam ir embora e impediam a limpeza das ruas.

A festa oficial da Fifa, a Fan Fest, instalada no Vale do Anhangabaú, também influenciou o aumento de furtos na região do 1.º DP (Sé). Essa área normalmente já tem incidência alta desse tipo de crime, com o intenso tráfego de pedestres. No entanto, em junho do ano passado, foram 844 ocorrências; no mesmo mês deste ano, foram 1.174 - um aumento de 39,1%. 

Mais conteúdo sobre:
São Pauloviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.