Vila Madalena e Pinheiros viram QG de estilistas da temporada

Gloria Coelho, Pedro Lourenço, Ronaldo Fraga e Raquel Davidowicz são alguns profissionais com ateliês na região

VALÉRIA FRANÇA, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2012 | 03h04

O desfile de André Lima fechou ontem à noite a temporada outono-inverno da semana de moda paulistana - também se apresentaram Neon, Fernanda Yamamoto, Amapô e Alexandre Herchcovitch. A partir de hoje, todos os criadores que exibiram as coleções na São Paulo Fashion Week voltam para seus respectivos quartéis-generais, a maioria deles em Pinheiros e Vila Madalena - os bairros "queridinhos" dos estilistas da SPFW.

Há três anos, Fause Haten deixou a badalada Rua Oscar Freire, nos Jardins, e se mudou para a Francisco Leitão, em Pinheiros. "Precisava de um espaço maior, grande o suficiente para abrigar ateliê e loja. Também queria uma rua tranquila, que fosse fácil para os clientes estacionarem."

Achou um galpão de 700m². Lá, montou um ateliê cenográfico. As paredes são pretas e os móveis e espelhos, de época. Suas criações - roupas e acessórios - ficam expostas como se estivessem em uma galeria. "Abri mão da vitrine. Trabalho com as portas fechadas para aumentar a exclusividade."

Pinheiros e Vila Madalena, segundo a Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), são dois pontos privilegiados. "Mesmo em uma região considerada central da capital, possuem galpões disponíveis. Apesar da grande valorização que os dois bairros sofreram nessas duas últimas décadas, possuem preços competitivos", diz Luiz Paulo Pompeia, diretor da empresa. Nos Jardins, o metro quadrado do aluguel do ponto chega a R$ 120, o dobro da média cobrada na Vila Madalena e em Pinheiros. "Nos Jardins, são poucos os imóveis disponíveis e, quando aparecem, têm metragem menor."

Há 25 anos, a estilista Gloria Coelho resolveu montar seu ateliê e sua fábrica na Rua dos Cariris, em Pinheiros, perto do Largo da Batata. No imóvel, antes funcionava uma das várias madeireiras que existiam nos arredores. Vizinho do prédio, agora funciona o ateliê do filho, Pedro, de 21 anos. Trata-se de uma construção da década de 1950, que já foi até um cortiço. Pedro preservou a entrada, uma porta estreita de casa antiga seguida de uma escadaria que leva ao primeiro andar. Lá em cima, em um salão de cerca de 200 m² , fez nesta temporada seu primeiro desfile na SPFW.

Vizinhança fashion. Bairro badalado, mas ainda com clima de interior, a Vila Madalena tem hoje um circuito fashion pesado. Fernanda Yamamoto e Ronaldo Fraga estão na Rua Aspicuelta e João Pimenta está na Rua Mourato Coelho. Raquel Davidowicz, da grife Uma, tem ateliê na Fidalga e loja na Girassol.

Há um ano, o ateliê de Raquel ficava no Pacaembu. "Achei duas casas na Vila Madalena para o meu quartel-general", conta. "Hoje, quando entro no meu ateliê, tenho a impressão de estar fora de São Paulo. Mudar também foi um jeito de ficar mais perto dos meus clientes. A Uma virou referência no bairro."

Conhecido pela alfaiataria impecável, Mario Queiroz mantém há 16 anos seu ateliê em cima da loja na Alameda Franca, nos Jardins. "Cada estilista escolhe o bairro que tem mais a sua cara. Minha roupa não é alternativa, por isso não estou na Vila Madalena nem em Pinheiros. Eu aqui tenho contato direto com o consumidor final, o que é importante para saber sua expectativa da marca." / COLABOROU FLÁVIA GUERRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.