Glauco Araújo/Divulgação
Glauco Araújo/Divulgação

Vila de Paranapiacaba espera 'invasão' de dez mil magos e bruxas

Convenção 'A Força do Rito' contará com 313 atividades programadas para este fim de semana

José Maria Tomazela , O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2019 | 14h56

SOROCABA - A pacata Vila de Paranapiacaba, com cerca de mil moradores, em Santo André, região metropolitana de São Paulo, será literalmente tomada neste fim de semana por uma legião de magos, xamãs, druidas e bruxas. O distrito sedia a partir de sexta-feira, 17, até domingo, 19, a maior convenção de bruxas e magos da América Latina. A expectativa é de ao menos dez mil pessoas participando de 313 atividades, muitas delas simultâneas, programadas até o encerramento, no domingo.

O evento, em sua 16a edição, reúne líderes de diversas linhas místicas e esotéricas em palestras, workshops, apresentações artísticas e na famosa feira esotérica com sua profusão de produtos e acessórios mágicos. O tema deste ano será 'A Força do Rito', com reflexões sobre rituais e cerimônias que caracterizam o mundo da magia. 

Na abertura, na noite de sexta, acontece a procissão de bruxas, magos e seres encantados pelas ruas da cidade, acompanhados por moradores locais. "Este ano vamos ter lua crescente nos abençoando e vamos desejar prosperidade a todos os brasileiros", afirma a bruxa e escritora Tânia Gori, fundadora da convenção. Ela conta que o evento surgiu em 2003, quando se reuniu com alunas e amigas bruxas para rituais em Paranapiacaba. 

Ao verem aquelas moças com capas e roupas clássicas de bruxa, as pessoas acharam legal e quiseram participar. Desde então, a vila turística, que preserva importante patrimônio da antiga companhia inglesa São Paulo Railway, passou a ser um dos principais destinos de bruxos e magos do país.

Tânia diz que não sabe quantas bruxas existem no Brasil. Na Casa de Bruxa, escola que ela mantém em Santo André, estão cadastrados 56 mil bruxos e magos. "Acho que seria bom incluir no censo uma pesquisa sobre as bruxas. Muitas pessoas têm medo de se assumir no mundo da magia. Foram 300 anos mostrando as bruxas como pessoas más, que faziam coisas erradas."

Segundo ela, a convenção cumpre o papel de mostrar que a bruxa é uma pessoa que desperta a união com a natureza, o conhecimento da terra, do ar, do fogo e da água para melhorar a qualidade de vida dela e das pessoas ao seu redor. "É a pessoa que dança, é feliz e tenta colocar um pouco de magia na vida das pessoas." 

RITUAIS - A bruxa moderna não tem nada a ver com a imagem da velha feia, com verruga no nariz, chapéu com a ponta caída e vassoura. São pessoas que interagem pela internet para resgatar antigos rituais e trocar experiências sobre terapias alternativas. 

Tânia conta que foi iniciada na bruxaria natural pela avó materna aos 6 anos de idade. "Minha infância foi marcada pelo aprendizado de assuntos hoje considerados como ocultismo, mas uma de minhas maiores paixões é a cozinha de bruxa, feita com ingredientes naturais, com tradições mágicas."

Ela acredita que séries de grande popularidade na TV e no cinema, como Harry Potter, Wikings e Game of Thrones ajudaram a difundir o mundo da magia.

Os eventos acontecem em diversas tendas montadas na região central da vila. Os segredos da alta magia, com o mago Eduardo Alvares, magia lunar céltica, com o sacerdote Nathair Norchadas, e a magia e os feitiços das cartas ciganas, com a bruxa Nicete Andrade, serão algumas das palestras. 

O astrólogo José Luis Barbosa Junior vai abordar a conjunção Júpiter/Saturno. A bruxinha Amanda Veloso dará dicas de magia através da culinária. "A culinária da bruxa ensina o uso das ervas e dos temperos para que os alimentos passem o bem estar", diz Tânia.

O xamanismo para a vida será o tema do viajante do mundo Marcos Reis. "Ele se declara viajante do mundo por ser uma pessoa sem parada, que não se prende a uma filosofia e busca conhecer todas elas", explica Tânia. 

Com apoio da prefeitura de Santo André, a convenção das bruxas inclui um encontro de ufólogos, que vão discutir, por exemplo, a queda de Ovnis (Objetos Voadores não Identificados) no litoral paulista. Entre um evento e outro, haverá apresentação de músicas medievais, danças tribais, ciganas e do ventre. A maioria dos eventos tem entrada franca. As palestras exigem a compra de pulseiras, com valores entre R$ 62 e R$ 71.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.