Vila da estação está abandonada e local não tem eletricidade

A Estação Evangelista de Souza foi inaugurada em 1935 e logo surgiu uma vila no entorno. Em 1990, ainda havia 50 casas ocupadas e escola. O declínio veio mesmo em 1997, quando as viagens de passageiros acabaram.

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

22 de agosto de 2011 | 00h00

Entre 2002 e 2007, um bar funcionou em uma sala da antiga estação. Hoje, não há energia elétrica e água encanada, mas duas casas ainda têm moradores. A estação é usada por funcionários que trabalham nos trilhos, mas não há nem banheiro. A parada tem o nome do homem conhecido como Barão de Mauá - precursor das ferrovias no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.