Vigilante suspeito de executar a advogada Mércia é preso em SE

Preso na madrugada de ontem na casa de parentes em Canindé de São Francisco, a 200 km de Aracaju, o vigilante Evandro Bezerra da Silva, de 38 anos, negou ter participado do assassinato da advogada Mércia Nakashima, em São Paulo. Ela desapareceu em 23 de maio e seu corpo foi encontrado em uma represa em Nazaré Paulista, em 11 de junho.

Leandro Calixto, O Estado de S.Paulo

10 de julho de 2010 | 00h00

Silva estava com a prisão temporária decretada desde 25 de junho. Para a polícia, o vigilante teria ajudado o principal suspeito do crime, o advogado e ex-namorado de Mércia Mizael Bispo de Souza, de 40 anos, a matá-la. "Não matei ninguém", disse Silva para os policiais. O suspeito disse que não sabia que era procurado pela polícia nem que sua prisão havia sido decretada. Ele admitiu que era conhecido de Mizael e trabalhou para ele quando o advogado concorreu à Câmara Municipal de Guarulhos. "Mas não tenho nada com isso."

O delegado paulista Antônio Olim, que comanda as investigações, viajou no início da manhã de ontem para Aracaju. Ele pretende trazer o suspeito para São Paulo ainda hoje.

Para o advogado da família de Mércia, Alexandre de Sá, a prisão pode ajudar a esclarecer definitivamente o crime. Já o advogado de Mizael, Samir Haddad Júnior, acredita que a prisão do vigilante só reforça a inocência de seu cliente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.