Vigia põe mão no bolso e leva tiro de policial

Ao colocar a mão no bolso de trás para tirar sua carteira, o vigilante noturno Kleber Dias Palma, de 39 anos, foi baleado por um policial civil no Bom Retiro, região central de São Paulo, ontem de madrugada. O investigador Rodrigo de Lima Sousa, do Grupo de Operações Especiais (GOE), afirmou, em depoimento no 77.º DP (Santa Cecília), ter imaginado que o vigilante fosse sacar uma arma.

GIO MENDES, O Estado de S.Paulo

24 Março 2012 | 03h02

Funcionário da empresa TW Serviços de Segurança, Palma foi até a Rua dos Italianos à 0h30, porque o alarme da empresa Alcateia Engenharia de Sistemas havia disparado. Uma viatura do GOE chegou ao local logo depois. Os policiais alegaram que faziam patrulhamento na região quando ouviram o alarme.

Os investigadores viram Palma na frente da empresa e perguntaram se estava tudo bem. Sem abordar o vigilante, os policiais percorreram a rua em busca de algo suspeito, como carros estacionados e possíveis assaltantes. Ao retornar para a frente da empresa de engenharia, os policiais alegaram ter estranhado que Palma continuasse no mesmo local. Foi quando ordenaram que ele se identificasse e mostrasse seus documentos.

O vigilante noturno, que usava uma capa de chuva, colocou a mão no bolso de trás da calça. Rodrigo atirou na perna direita de Palma, mas só depois viu que o vigilante segurava a carteira. Palma foi levado para o pronto-socorro da Santa Casa de Misericórdia, de onde recebeu alta às 10h50 de ontem. A pistola calibre .40 do investigador do GOE foi apreendida para perícia. A Corregedoria da Polícia Civil também vai investigar o caso.

'Imprudente'. Durante a madrugada de ontem, a delegada Adriana Katia Carvalho Rodrigues, do 77.º DP, foi até a Santa Casa de Misericórdia para ouvir o segurança. Segundo a delegada, Palma admitiu ter agido "de forma abrupta e imprudente" ao retirar a carteira do bolso. Ainda segundo a delegada, Palma disse que não tinha interesse em representar criminalmente contra o investigador do GOE. A reportagem não localizou Palma para que ele comentasse o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.