Vigia é preso por não manter distância mínima de 200 metros da ex-mulher

Pela primeira vez, segundo Regina Célia Issis, titular da 7.ª Delegacia de Proteção à Mulher (DPM), a Justiça de São Paulo decretou a prisão de um homem por violar medida protetiva, que o obrigava a se manter a mais de 200 metros de distância da ex-mulher, com base na Lei Maria da Penha. O homem foi detido na quarta-feira, e encaminhado ao Centro de Detenção de Pinheiros. O juiz Xisto Rangel Neto, da 2.ª Vara Criminal e de Violência Doméstica de São Miguel Paulista, considerou a prisão como a única forma de proteger a auxiliar de limpeza C.M.S., de 37 anos, do ex-companheiro, Edivaldo P.S., de 44 anos.

, O Estado de S.Paulo

25 de junho de 2010 | 00h00

De acordo com C.M.S, a relação de 10 anos do casal sempre foi conturbada. "Ele me ameaçava. Falava na frente das crianças que ia arrancar meu pescoço quando eu dormisse", conta, chorando. A situação piorou quando a vítima começou a trabalhar. Enciumado, Edivaldo insinuava que tinha amantes. Ela diz que isso nunca ocorreu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.