Vigia é indiciado por participar de morte de advogada

A Polícia Civil de São Paulo indiciou na madrugada de ontem o vigia Evandro Bezerra da Silva, de 38 anos, pelo envolvimento no assassinato da advogada Mércia Nakashima. Evandro foi preso na sexta-feira em Sergipe e trazido para São Paulo sob custódia do delegado Antonio Olim, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Felipe Branco Cruz, O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2010 | 00h00

Além de ter sido interrogado em Sergipe pelos policiais do DHPP, assim que chegou a São Paulo, anteontem, por volta das 21 horas, ele deu novo depoimento até as 2 horas de ontem, quando teria revelado mais detalhes sobre o crime. "Após o interrogatório na madrugada de ontem, que foi acompanhado por um advogado da Ordem dos Advogados do Brasil, decidimos indiciá-lo por homicídio", disse Olim.

Segundo o delegado, Evandro teria dito que Mizael Bispo de Souza, ex-namorado de Mércia, a matou no dia 23 de maio, em Nazaré Paulista, no interior paulista, após o fim do namoro. "Mizael é o principal suspeito pelo assassinato e Evandro teria ido buscá-lo de carro após o crime", afirma o delegado. Evandro está preso na carceragem do 1.º Distrito Policial de Guarulhos.

Ontem, o advogado de Mizael, Samir Haddad Junior, disse que seu cliente não vai se entregar e que entrará hoje com um pedido de habeas corpus. Mizael está foragido desde sábado, quando foi expedido um pedido de prisão temporária por 30 dias. "Tenho informações de que o depoimento de Evandro foi obtido sob tortura. Até sexta-feira, quando foi preso em Sergipe, ele negava tudo. Agora misteriosamente muda o depoimento?", questiona.

"Isso é invencionice desse advogado. Temos toda a declaração registrada em vídeo e ela foi acompanhada por representantes da OAB", rebateu o delegado Antonio Olim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.