Viaduto Pompeia tem duas faixas liberadas hoje

Elas terão o sentido invertido ao longo do dia para facilitar o fluxo nos horários de pico

O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2012 | 03h03

A partir de hoje, os carros estão liberados para voltar a circular no Viaduto Pompeia, na zona oeste, atingido por um incêndio no dia 9. Mas o trânsito na região deve permanecer complicado: a liberação será parcial e o viaduto terá sentido único, que vai mudar de mão de acordo com o horário.

Também na zona oeste, a Ponte dos Remédios, bloqueada parcialmente desde novembro, quando parte da estrutura caiu no Rio Tietê, será liberada para a circulação de ônibus, o que estava vetado.

No caso do Viaduto Pompeia, a Prefeitura ainda não dá prazo para liberar totalmente o trânsito. Depois de analisar as estruturas do elevado por duas semanas, técnicos da Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras decidiram liberar só duas faixas. A velocidade será de 40 km/h. O tráfego de ônibus e caminhões vai continuar proibido no local.

"Foram feitos ensaios técnicos e concluímos que o lado que sofreu menos impacto foi o do sentido Marginal do Tietê-Pompeia. A análise mostra que esse trecho pode ter a parte central liberada para o trânsito, mas uma liberação monitorada", diz o superintendente de Obras da secretaria, Régis de Oliveira. "O impacto do fogo nas estruturas do viaduto foi mais forte nas laterais", completa.

Esquema. O fluxo do tráfego no viaduto vai seguir o seguinte esquema: no horário de pico da manhã e durante todo o dia (das 6h às 17h), o sentido será o bairro-centro - os carros que vêm da zona norte, da Marginal do Tietê ou da Avenida Marquês de São Vicente poderão usar as duas faixas liberadas para chegar às Avenidas Pompeia e Francisco Matarazzo.

Entre 17h e 22h, o sentido será invertido, para permitir que os carros que estão no centro expandido da cidade acessem a Marginal do Tietê. Entre 22h e 6h, o viaduto continuará fechado para o tráfego.

Toda essa mudança de fluxo será coordenada por agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), que vão monitorar o viaduto durante o período em que ele estiver aberto. A CET recomenda que os motoristas reduzam a velocidade ao avistar a sinalização de orientação da pista. A CET diz, em nota, que "a medida tem como objetivo melhorar as condições de circulação e fluidez no local, além de proporcionar o acesso dos veículos que saem dos bairros em direção ao centro e vice-versa".

Críticas. Quem mora ou trabalha na região não acredita que esse esquema especial trará alívio significativo ao trânsito - e reclama da falta de informações.

O estudante de Direito Alberto Marques, de 24 anos, por exemplo, diz que não sabia, até a tarde de ontem, que o viaduto seria liberado. "Moro aqui perto e não tem nenhuma sinalização de aviso. Já estava preocupado, pensando em outras alternativas para fugir do trânsito, já que o movimento de carros vai aumentar nesta semana porque começam as aulas."

O taxista Jonas Félix da Silveira, de 62 anos, acredita que o trânsito vai continuar difícil no entorno da Avenida Pompeia. "O trânsito aqui sempre foi complicado. Esse limite de horário de ida e vinda do viaduto não vai aliviar em nada."

Os Viadutos Antártica e da Lapa continuam sendo rotas alternativas enquanto a interdição parcial continuar.

Irregular. As estruturas do viaduto ficaram danificadas após um incêndio no barracão da escola de samba Mocidade Alegre, que funcionava embaixo da estrutura. Segundo o Ministério Público Estadual (MPE), a ocupação da área era irregular. / BRUNO RIBEIRO. CRISTIANE BOMFIM e FELIPE FRAZÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.