Viaduto da Favela do Moinho vai fechar das 5h às 22h

A Prefeitura de São Paulo informou ontem que o Viaduto Engenheiro Orlando Murgel, na região central, ficará fechado para carros e motos das 5h às 22h por causa de obras na estrutura na passagem, que teve as fundações atingidas por um incêndio na Favela do Moinho em setembro.

CAIO DO VALLE, O Estado de S.Paulo

01 Fevereiro 2013 | 02h01

A medida, que valerá inclusive aos sábados e domingos, entra em vigor na segunda-feira e poderá ser mantida até o fim do mês na ligação norte-centro.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) não informou por quanto tempo exatamente a restrição valerá, mas, segundo o Estado apurou, a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana (Siurb) espera liberar o viaduto por completo apenas depois desse período.

O viaduto passará por obras de recuperação estrutural - a Favela do Moinho fica debaixo dele. Com isso, somente os ônibus da São Paulo Transporte (SPTrans) poderão atravessar a estrutura. Desde o incêndio, o trânsito desses veículos estava proibido. Até então, só os carros e as motos podiam circular por ali.

Mas agora a situação se inverte e a Prefeitura revela que a medida é para "privilegiar o transporte coletivo". Por hora, cerca de 120 ônibus se deslocavam por sentido no viaduto, totalizando 124 mil passageiros transportados por dia pela estrutura antes de ele ser fechado. Os coletivos poderão atingir no máximo 40 km/h na estrutura.

Fogo. O incêndio que resultou no fechamento parcial da ligação atingiu casas na Favela do Moinho, matando uma pessoa. Outro incêndio já havia atingido a comunidade em dezembro de 2011, deixando dois mortos.

A CET recomenda que os motoristas procurem rotas alternativas para atravessar as linhas da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) na região central. Entre eles, estão os Viadutos Pacaembu e Antártica, na Barra Funda, na zona oeste da cidade. O Viaduto Pompeia, que no ano passado também ficou interditado por causa de um incêndio, pode ser outra opção, embora mais distante.

Motoristas que não quiserem se distanciar do viaduto poderão seguir, no sentido centro, na Avenida Rudge, pela via lateral da estrutura, virar à esquerda na Rua Sólon, dobrar à direita na Rua Anhaia e, por fim, à direita na Alameda Nothmann, até chegar à Avenida Rio Branco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.