Via foi marco do ''bota-abaixo'' do século 20

A Avenida Central foi o principal símbolo da reforma urbana promovida no centro do Rio pelo engenheiro Pereira Passos no início do século passado. As intervenções drásticas ficaram conhecidas como "bota-abaixo".

, O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2010 | 00h00

O Rio ganhou cópias de construções francesas, como o Teatro Municipal, inspirado na Ópera de Paris. Da primeira geração de prédios, porém, resta pouco. O Palácio Monroe, de 1906, que abrigou a Câmara dos Deputados e o Senado Federal, foi demolido na década de 1970, durante a ditadura militar. A especulação imobiliária levou quase tudo. Entre os remanescentes estão o Museu Nacional de Belas Artes, a Biblioteca Nacional, o Teatro Municipal, o Clube Naval e o prédio que hoje abriga o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). / F.W.

QUEM FOI

JOSÉ MARIA PARANHOS

BARÃO DO RIO BRANCO

O barão do Rio Branco (1845-1912) foi diplomata e contribuiu para definir as fronteiras do País. Era monarquista, mas serviu quatro presidentes (Rodrigues Alves, Campos Salles, Delfim Moreira e Hermes da Fonseca) como representante em outros países. Adorava o centro do Rio e apoiou a reforma

do início do século 20.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.