Via 'exclusiva' de Moema tem valetas, buracos e motos

Em vez de ciclistas, buracos, valetas e motos. Esse é o cenário da ciclofaixa permanente de Moema, na zona sul, que tem 3,3 km. Ontem, no lugar reservado para as bicicletas, a reportagem flagrou motoqueiros em alta velocidade. Somente quatro ciclistas passaram pelas vias exclusivas que cortam as Avenidas Rouxinol, Aratãs, Pavão e Rua Araguari no período de quase duas horas.

O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2012 | 03h04

"Acho que devia liberar para moto pelo menos durante a semana. Ciclista por aqui quase não se vê", conta o manobrista João Valentim, de 66 anos, que trabalha no bairro há 20.

A farmacêutica Silvia Piva Pereira, de 42 anos, trabalha de bike mas evita a ciclofaixa. Ela diz que a área está abandonada. "Está cheia de buracos. Acho que precisa de manutenção, para que os ciclistas tenham coragem de usar", diz. Segundo a CET, a rede de Moema foi pensada para evitar que as manobras de carro necessárias ao estacionamento ocorram sobre a faixa de bicicletas, o que poderia colocar em risco a segurança dos ciclistas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.