Via Amarela admite desencontro entre túneis da linha 4

Segundo a o consórcio, desencontro de 80 centímetros será corrigido e não altera prazos e custos da obra

Gustavo Miranda, do estadao.com.br,

19 de setembro de 2007 | 10h58

O Consórcio Via Amarela, responsável pelas obras de construção da futura linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo, admitiu nesta quarta-feira, 19, que houve um desalinhamento de 80 centímetros no plano horizontal entre os túneis que são escavados a partir de duas frentes. A falha provocou o desencontro dos túneis. Segundo o consórcio, a falha será corrigida e não gera qualquer alteração no prazo, custo ou segurança das obras.   O desencontro entre os túneis acontece entre as áreas onde serão erguidas as estações Caxingui e Três Poderes, na zona oeste da capital paulista. De acordo com o planejamento da obra, os túneis deveriam ter se encontrado exatamente neste ponto, onde há o desalinhamento de 80 centímetros."Com relação ao processo de construção, é preciso ressaltar que é absolutamente normal que haja um pequeno desalinhamento no encontro de túneis", afirma um comunicado oficial emitido nesta quarta, pela assessoria de imprensa da Via Amarela.   Segundo o consórcio (formado pela Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez), a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) está plenamente informada de todo o andamento da obra. Diz também que não há gravidade na falha - o Via Amarela vai receber do Estado aproximadamente R$ 2 bilhões para a construção total da linha.

Tudo o que sabemos sobre:
erros na Linha 4Metrô de São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.