'Vi escombros caindo. Foi assustador'

Taxistas aproveitam-se de tragédia para lucrar

O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2012 | 03h01

"Ouvimos o barulho como se fosse o de um avião passando", descreveu o caixa Flávio Souza, de 36 anos, que trabalha no Bar Amarelinho, próximo ao local do acidente, no centro do Rio.

De acordo com ele, os clientes do bar saíram correndo desesperados após a explosão. "A gente viu os escombros caindo. Foi um susto grande." Os restos da explosão estão espalhados por todos os lados, afirma Souza. "Tem muita poeira aqui. Os carros que estão no estacionamentos foram cobertos por ela."

Comerciantes contaram que fecharam mais cedo. "Está tudo fechado, parece cenário de guerra. Fechei mais cedo, pois há previsão de corte de energia", disse Marcos Moreira, de 40 anos, gerente da lanchonete Bob's.

Segundo internautas, taxistas estão se aproveitando da situação para lucrar. "Nojo dos taxistas do centro. Não estão rodando no taxímetro. Ganhando na desgraça. (Estão cobrando) R$ 50 para a zona sul", escreveu o fotógrafo Jorge Bispo, em seu perfil do Twitter. / A.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.