Veto a caminhão em vias do Morumbi começa na 2ª

A proibição do trânsito de caminhões no bairro do Morumbi, na zona sul da capital, começa na segunda-feira e vai atingir dez ruas. Além disso, a velocidade máxima permitida na Marginal do Pinheiros será reduzida de 90 km/h para 70 km/h, no caso de caminhões pesados. Mas a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ainda vai anunciar quando começará a multar.

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

24 de setembro de 2010 | 00h00

Os detalhes sobre a nova restrição foram divulgados no começo da noite de ontem. As vias ainda têm de receber sinalização adequada, informando sobre a restrição. "Enquanto a sinalização estiver sendo instalada, haverá um período de adaptação e orientação aos caminhoneiros, antes do início da fiscalização com multas", informou a companhia.

Ainda de acordo com a CET, a restrição vai ocorrer no mesmo horário da que ocorre na Marginal do Pinheiros - de segunda a sexta-feira, das 5 às 21horas. "A multa é de R$ 85,12, infração média, mais quatro pontos na carteira de habilitação", informa a CET.

A Prefeitura anunciou que criaria mais essa restrição na segunda-feira, mas não tinha divulgado os detalhes da proibição. A medida é uma tentativa de atender as reclamações dos moradores do Morumbi, que viram suas ruas serem tomadas por caminhões pesados, depois de a Prefeitura proibir caminhões na Marginal do Pinheiros durante o dia.

A Companhia de Engenharia de Tráfego quer que os caminhões sigam para o Rodoanel. Mas empresários do setor de cargas dizem que isso não é possível, uma vez que o destino de muitas dessas cargas são os bairros da zona sul da capital paulista.

AS VIAS PROIBIDAS

Rua Jules Rimet, da Praça Roberto Gomes Pedrosa até a Rua Padre Lebret

Avenida Giovanni Gronchi

Avenida Francisco Morato

Avenida Dr. Luís Migliano

Av. Dr. Guilherme Dumont Villares

Avenida Jacob Salvador Zveibel

Avenida João Jorge Saad

Rua Eng. Oscar Americano

Rua Padre Lebret

Avenida Morumbi, entre a Ponte do Morumbi e a Avenida Francisco Morato

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.