Veto a álcool é mantido no entorno do Maracanã

Medidas para a Copa no Rio também preveem feriado em três dias de jogos

LUCIANA NUNES LEAL / RIO, O Estado de S.Paulo

03 Maio 2014 | 02h01

A cidade do Rio de Janeiro receberá 600 mil turistas e terá dois feriados parciais e um integral durante a Copa do Mundo. Nos dias 18 (jogo Espanha x Chile, às 16 h) e 25 de junho (França x Equador, às 17 h), quartas-feiras, os feriados serão a partir das 12 horas. No dia 4 de julho (quartas de final, às 13h), sexta-feira, o feriado dura o dia inteiro. Lojas de rua, shopping centers, bares, restaurantes, pontos turísticos e centros culturais funcionarão normalmente.

A prefeitura manteve a proibição de venda e consumo de bebidas alcoólicas, nos dias de jogos, em dez ruas próximas ao Maracanã, no raio de um quilômetro, a partir de duas horas antes até duas horas depois dos jogos. Esta regra já vigora desde 2009, como medida para evitar tumulto, vandalismo e brigas, e o prefeito Eduardo Paes (PMDB) não abriu exceção para a Copa. Nem as patrocinadoras serão autorizadas a vender bebidas alcoólicas na área delimitada pela prefeitura. A venda de bebidas alcoólicas dentro do Maracanã e dos demais estádios que terão jogos será permitida, somente durante o campeonato, como prevê a Lei Geral da Copa.

Em entrevista ontem, durante lançamento do Manual de Procedimentos para a Copa do Mundo 2014, Paes alertou que as agências de turismo não poderão oferecer pacotes que incluam transporte fretado até o Maracanã. O meio para os torcedores chegarem ao estádio, insistiu o prefeito, serão os transportes públicos, principalmente o metrô. Haverá 40 bloqueios em todo o entorno do Maracanã e somente carros, ônibus e vans credenciados poderão se aproximar do estádio.

"Vamos focar a mobilidade no transporte público, não será permitido ir de carro para o estádio, nem em vans e ônibus fretados", alertou Paes.

O presidente em exercício da Associação Brasileira de Agências de Viagens do Rio de Janeiro (ABAV-RJ), Reinaldo Gama, disse que as empresas foram pegas de surpresa com a proibição da prefeitura. "Muitas agências fecharam pacotes que deixariam os clientes o mais perto possível do estádio. Consultei o pessoal das agências e estão todos surpresos. Imaginamos que fossem possível chegar a até cerca de 500 metros do Maracanã. Os que venderam esse tipo de pacote terão que se adaptar", disse Gama.

Copacabana. O prefeito confirmou que a Fifa Fan Fest, principal festa de transmissão pública dos jogos do Brasil, será na Praia de Copacabana, na altura na Rua Princesa Isabel. Com shows e entrada franca, a festa popular custará R$ 7 milhões e o único patrocinador confirmado até agora é o governo da Rússia. Segundo Paes, não haverá dinheiro público no evento, salvo de governos estrangeiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.