Zoológico de Bauru/Divulgação
Zoológico de Bauru/Divulgação

Veterinários tentam salvar onça atropelada em rodovia do interior de SP

Animal, de aproximadamente cinco anos e 46 quilos, sofreu fraturas nos ossos dos membros posterior e inferior e teve traumatismo craniano

Chico Siqueira, Especial para O Estado

03 Abril 2014 | 10h32

Equipes de médicos veterinários do Hospital Veterinário da Universidade Estadual Paulista (HV/Unesp) tentam salvar um raro exemplar de onça parda atropelado na madrugada desta quinta-feira, 3, no quilômetro 328 da rodovia Marechal Rondon (SP-300), em Agudos, no interior de São Paulo.

O animal, um macho, adulto, de aproximadamente cinco anos e 46 quilos corre risco de morrer por causa de graves ferimentos. "Eles sofreu fraturas nos ossos dos membros posterior e inferior e também um traumatismo craniano, que nos preocupa muito", disse o médico veterinário Carlos Roberto Teixeira, coordenador do Centro de Medicina e Pesquisas em Animais Selvagens (Cempas) do hospital.

Os médicos fariam nesta manhã exames de raios X para verificar as fraturas nos membros e tomografia computadorizada e exames complementares, para avaliar a extensão e gravidade da lesão no crânio. A equipe também estuda a possibilidade de pedir auxílio a médicos neurologistas de humanos para auxiliar na tarefa de avaliar as condições de saúde do animal.

"Vamos fazer o que pudermos para tentar salvá-lo, não podemos perder um animal desses, pois se trata de um belo exemplar, que há muitos anos eu não via um como este, mas infelizmente é uma pena porque a situação dele é crítica", disse Teixeira.

Os ferimentos foram provocados pela batida de VW Gol, com placas de Lençóis Paulista (SP). O motorista, não conseguiu frear a tempo de evitar o choque. A Polícia Rodoviária não divulgou a identidade do motorista, mas disse que ele está bem, embora o carro tenha sofrido "danos de grande monta".

Depois do atropelamento, equipes do Corpo de Bombeiros e do Zoológico de Bauru, resgataram o animal e o levaram ao zoo, onde recebeu os primeiros socorros para depois ser transferido ao Hospital Veterinário da Unesp de Botucatu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.