Vereadores voltam atrás e dão feriado para comerciários

Categoria fez diversos atos após sanção da lei que decretou feriado no dia 12, abertura da Copa, mas deixou trabalhadores sem direitos

Adriana Ferraz, O Estado de S. Paulo

05 de junho de 2014 | 18h22

SÃO PAULO - A Câmara Municipal cedeu à pressão dos comerciários e votou na tarde desta quinta-feira, 5, novo projeto para alterar a lei que decretou feriado o dia 12 de junho, data de abertura da Copa do Mundo. Diferentemente do texto aprovado no dia 20 de maio, os vereadores agora incluíram o comércio em geral no texto, assegurando aos trabalhadores do setor direitos específicos para a atuação em feriado como vale-refeição, folga e remuneração em dobro. 

A "correção" da lei já sancionada pelo prefeito Fernando Haddad (PT) foi acordada nesta quinta, após nova manifestação do Sindicato dos Comerciários de São Paulo e da UGT (União Geral dos Trabalhadores) em frente à Câmara. Líder do PT, o vereador Alfredinho chegou a pedir desculpas aos comerciários que aguardavam pela nova votação em plenário. 

Toninho Vespoli (PSOL), no entanto, ressaltou que o "equívoco" de excluir os funcionários do comércio varejista da lei não foi um "cochilo". Segundo Vespoli, quem votou contra os comerciários no primeiro projeto o fez para agradar aos interesses dos empresários, que alegavam prejuízos com a lei.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.